Logo2c.png

ECONOMIA CIRCULAR

Um modelo econômico que traz oportunidades para o melhor uso dos recursos naturais e aumento da competitividade da indústria

A economia circular associa desenvolvimento econômico ao melhor uso de recursos naturais, por meio de novas oportunidades de negócios e da otimização na fabricação de produtos. A ideia é depender menos de matéria-prima virgem, priorizando insumos mais duráveis, recicláveis e renováveis.

O conceito de economia circular surge como um contraponto ao modelo econômico linear – de extração de matéria-prima, transformação, uso e descarte de resíduos –, que está atingindo seu limite. Nos últimos 30 anos, apesar dos avanços tecnológicos e do aumento da produtividade dos processos industriais, que extraem 40% mais valor econômico das matérias-primas, a demanda mostrou aumentou de 150%.


Essa tendência faz com que as empresas não apenas reduzam custos e perdas produtivas, mas também criem novas fontes de receita, por exemplo, com estímulo à inserção de matéria-prima secundária nos processos produtivos e fomento ao mercado de troca de resíduos.

A economia circular também contribui para promover o desenvolvimento de novos elos na cadeia produtiva, por meio de práticas promovidas por este modelo, como: otimização de processos, produto como serviço, compartilhamento, extensão da vida do produto, insumos circulares, recuperação de recursos e virtualização.

Pesquisa feita pela CNI em 2019 mostra que 76,5% das indústrias desenvolvem alguma iniciativa de economia circular, embora a maior parte não saiba que as ações se enquadram nesse conceito. Entre as principais práticas elencadas pelos respondentes estão a otimização de processos (56,5%), o uso de insumos circulares (37,1%) e a recuperação de recursos (24,1%).

A pesquisa também mostrou que 88,2% dos entrevistados avaliaram a economia circular como importante ou muito importante para a indústria brasileira. A questão vai além da busca por eficiência.

Um levantamento recente sobre o perfil dos consumidores brasileiros, também da CNI, mostra que 38% dos entrevistados sempre verificam ou verificam às vezes se os produtos foram produzidos de forma ambientalmente correta. A pesquisa revela que os brasileiros também têm mais consciência sobre o destino do lixo. O número de pessoas que separa o lixo para a reciclagem cresceu de 47%, em 2013, para 55%, em 2019.

Objetivos do Desenvolvimento Sustentável relacionados:
 

 Texto alternativo da sua imagem
 Texto alternativo da sua imagem
 Texto alternativo da sua imagem

Mensagens-chave

A transição para a economia circular demanda melhorias na infraestrutura nacional e em políticas públicas.

É fundamental criar a infraestrutura necessária para a transição e desburocratizar a máquina pública.

É necessário adequar o sistema tributário brasileiro para estimular o melhor uso dos recursos naturais.

Essa melhoria será alcançada por meio do design de produtos, do reúso, da manutenção, da remanufatura, da reciclagem e do maior uso de renováveis.
 

Esse novo modelo econômico traz oportunidades para valorizar as boas práticas e aproveitar os diferenciais comparativos da indústria brasileira.

Uma matriz energética mais limpa e renovável, por exemplo, contribui para a valorização da indústria nacional em um mercado que demanda cada vez mais sustentabilidade.

É estratégico para o setor industrial aproveitar as oportunidades de negócios relacionadas às práticas de economia circular para desenvolver novos elos em sua cadeia produtiva.

O melhor uso dos recursos naturais e o aproveitamento de resíduos como recursos pelo setor produtivo têm o potencial de gerar novos negócios e mais empregos.

Agenda prioritária 2020

Agenda-Icone.png Construir o posicionamento brasileiro em relação à elaboração da Norma Internacional sobre Economia Circular da International Organization for Standardization (ISO).

Agenda-Icone.png Desenvolver uma plataforma online sobre economia circular que seja referência para a indústria brasileira.

Agenda-Icone.png Estruturar governança da Rede de Economia Circular da indústria brasileira.

Agenda-Icone.png Publicar cartilha orientativa para inclusão de critérios de sustentabilidade/circularidade nas compras públicas.

Agenda-Icone.png Acompanhar as políticas públicas que estimulem as boas práticas de economia circular no setor privado.

Resultados 2019

Ícone-check.png Negociação junto à International Organization for Standardization (ISO) a partir de do documento Economia Circular: Oportunidades e Desafios para a Indústria Brasileira, da CNI, para elaboração da Norma Internacional sobre Economia Circular. A CNI coordena a Comissão de Estudo Especial de Economia Circular da ABNT, que vai definir posicionamentos do Brasil para elaboração da norma.

Ícone-check2.png Realização da pesquisa Economia Circular na Indústria Brasileira, levantamento inédito, com abrangência nacional, que traz a percepção dos empresários brasileiros sobre a importância do assunto para a indústria nacional.

Ícone-check.png Lançamento do roadmap Economia Circular: Caminho Estratégico para a Indústria Brasileira, documento que propõe iniciativas para o aprimoramento de políticas públicas; aumento do investimento em PD&I; identificação de fontes de financiamento, e posicionamento da indústria brasileira no mercado.

Ícone-check.png Realização do talkshow Modelos de Negócios Inovadores para a Economia Circular, no 8º Congresso Brasileiro de Inovação, para compartilhar experiências empresariais sobre aproveitamento máximo de recursos por meio de novos modelos de negócios.

Iniciativas das federações e associações de indústrias

Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG)

+

Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP)

+

Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN)

+

Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast)

+

Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee)

+

Vídeos

 

topo