Logo2c.png

ENERGIAS RENOVÁVEIS

As fontes renováveis de energia terão participação cada vez mais relevante na matriz energética global nas próximas décadas

O setor de energia brasileiro se destaca por possuir uma matriz energética com grande participação de fontes renováveis, o que acontece em poucos países do mundo. Isso significa que as emissões de gases de efeito estufa (GEE) por unidade de energia consumida no Brasil são pequenas comparadas a outros países.

Em agosto de 2018, as fontes renováveis representaram 81,5% da matriz de produção de energia elétrica do país. A geração hidráulica correspondeu a 62,1% desse total, a eólica, 11,4%, a biomassa, 7,2%, e a solar, 0,8%.

 

O Brasil, no entanto, ainda tem um longo caminho a percorrer para atingir padrões socioeconômicos comparáveis aos de países desenvolvidos. Por essa razão, o consumo de energia per capita deverá aumentar consideravelmente até 2030, tornando cada vez mais difícil manter os percentuais atuais de participação das energias renováveis.

Visando à continuidade de sua posição de destaque na área energética, o país se propôs no compromisso assumido na COP 21 (NDC) a alcançar uma participação estimada de 45% de energias renováveis na composição da matriz energética em 2030. Essa meta deve ser atingida por meio do aumento da participação de eólica, biomassa, solar e biocombustíveis para aproximadamente 18% até 2030.

O baixo nível atual dos reservatórios das hidrelétricas, a expectativa de retomada de crescimento do país e os compromissos assumidos no Acordo de Paris (COP 21) abrem espaço para o desenvolvimento ainda maior das fontes renováveis de energia.

O cenário apresenta oportunidades à indústria, produtores de energia renovável e de equipamentos voltados ao setor. Ao mesmo tempo, traz o desafio de garantir a modicidade tarifária e a segurança no fornecimento de energia aos consumidores industriais. Esforços adicionais para mitigação de gases de efeito estufa devem se concentrar em setores que apresentem oportunidades com melhor relação custo-benefício e que não comprometam a competitividade da indústria.

 

Objetivos do Desenvolvimento Sustentável relacionados:
 

Mensagens-chave

O setor de energia brasileiro se destaca por possuir uma matriz energética com grande participação de fontes renováveis.

Entretanto, dado o desafio de ampliar a oferta às populações ainda não assistidas, não é esperada uma tendência de redução das emissões do setor.
 

O país deve aproveitar as oportunidades para o desenvolvimento ainda maior das fontes renováveis de energia.

O baixo nível atual dos reservatórios das hidrelétricas, a expectativa de retomada de crescimento do país e os compromissos assumidos no Acordo de Paris abrem espaço para o desenvolvimento ainda maior das fontes renováveis de energia. Traz também o desafio de garantir a modicidade tarifária e a segurança no fornecimento de energia aos consumidores industriais.
 

Diferentes setores industriais podem ser beneficiados com o desenvolvimento de fontes renováveis de energia.

O cenário apresenta oportunidades à indústria, produtores de energia renovável e de equipamentos voltados ao setor.
 

Agenda prioritária 2019

Agenda-Icone.png Estimular o uso da biomassa, em especial de origem florestal, como fonte de energia renovável.

Agenda-Icone.png Analisar o potencial de inserção dos biocombustíveis avançados, inclusive etanol de 2ª geração, na matriz de combustíveis.

topo