Logo2c.png

FLORESTAS

Para a CNI, o fortalecimento da competitividade do setor florestal
representa a possibilidade de protagonismo do país no mercado
internacional e na agenda da sustentabilidade

O Brasil possui uma grande cobertura florestal, a segunda maior do mundo, ficando atrás apenas da Rússia. O setor de base florestal brasileiro é responsável por cerca de 3,5% do PIB do Brasil (2007), equivalente a US$ 37,3 bilhões, e por 7,3% das exportações totais do país, equivalente a US$ 10,3 bilhões. O setor é ainda responsável pela geração de aproximadamente 7 milhões de empregos.

O setor de florestas plantadas apresenta produção integrada e estrutura produtiva complexa, incluindo produtores de equipamentos, insumos, projetos de engenharia e empresas de produtos florestais. Entretanto, mesmo com uma participação significativa na economia nacional, ainda existe espaço para a ampliação da produção e de agregação de valor dos produtos florestais no país.

 

O segmento responsável pela exploração sustentável de florestas nativas ainda convive com altos índices de ilegalidade e com baixa competitividade. O setor de base florestal nativa legal encontra dificuldades para expandir seus negócios, especialmente na região Amazônica, devido às restrições impostas pela legislação frente ao apelo ambiental que a região desperta.

A ilegalidade deve ser combatida para construirmos um ambiente adequado para enfrentar os desafios técnicos, regulatórios e políticos ao desenvolvimento de um mercado de madeira tropical. Ações de comando e controle devem ser implementadas com uso de inteligência e lançando mão das informações e das ferramentas de controle disponíveis, como o Sinaflor, por exemplo, sem aumentar a burocracia.

A expansão das áreas de concessões florestais, pautadas no manejo florestal sustentável, é uma oportunidade para a ampliação da oferta de madeira tropical de florestas nativas e uma importante estratégia para conservação das áreas florestais remanescentes.

A indústria de base florestal precisa desenvolver todo seu potencial, seja pelo crescimento da produção, seja na promoção de novos produtos e modelos de negócio com foco no desenvolvimento de novos materiais. A construção de um ambiente de negócios favorável e o fortalecimento das instituições que cuidam do tema são fatores imprescindíveis para a melhoria da competitividade do setor e para o desenvolvimento do potencial florestal do país, tanto de florestas plantadas quanto de nativas.

Objetivos do Desenvolvimento Sustentável relacionados:
 

Mensagens-chave

A melhoria do ambiente de negócios é essencial para o desenvolvimento do setor de base florestal. Para tanto, é necessária a redução da burocracia, a existência de marco regulatório claro e a efetividade dos instrumentos de controle.

A ampliação da área de exploração florestal depende do crescimento da demanda por produtos florestais.

Esse aumento é resultado do fortalecimento do mercado e do desenvolvimento de novos produtos, com investimentos planejados em P&D.
 

É essencial a definição do locus institucional para tratamento da agenda florestal no governo federal.

O tratamento da questão florestal no país requer a definição e o fortalecimento de espaço institucional, com autonomia administrativa e financeira, no âmbito do Governo Federal.
 

Os recursos do Fundo Amazônia, do Fundo Nacional de Desenvolvimento Florestal (FNDF) e dos Fundos Constitucionais devem ser considerados na promoção do mercado florestal.

Também devem ser levados em conta para a criação das inovações tecnológicas e melhoria do processo de concessões florestais.
 

topo