Selo-internas3.png

7ª Edição - 2019/2020


A 7º edição do Prêmio Indústria Nacional Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas anunciou, em 4 de abril, seus 30 artistas finalistas, selecionados entre 688 inscritos de 24 estados e o Distrito Federal.

No ano em que completa 15 anos, o prêmio passou a se chamar Prêmio Indústria Nacional Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas, mudança que busca dar destaque à indústria brasileira, que realiza o projeto por meio do Sistema Indústria.

Nesta edição, passa de 20 para 30 o número de artistas finalistas. Os cinco artistas premiados serão conhecidos na abertura da exposição dos finalistas, a ser realizada em setembro, no Museu de Arte Brasileira da FAAP (MAB – FAAP), em São Paulo.

Cada um dos cinco artistas ou coletivos premiados receberá uma bolsa de R$ 50 mil e será acompanhado por um curador ou crítico de arte para produção do novo trabalho. Além da mostra em São Paulo, as obras dos premiados vão percorrer outras cinco cidades do Brasil em mostras itinerantes.

Na 7ª edição, o júri é composto por:  Ana Avelar, Bernardo Mosqueira, Clarissa Diniz, Gabriela Motta, Josué Mattos (curador premiado na 6ª edição), Marcus de Lontra Costa (curador geral do prêmio) e Rochelle Costi (artista premiada na 6ª edição).
 
Reconhecido no circuito da arte contemporânea, o prêmio já contemplou e foi um marco na carreira de 30 artistas brasileiros, entre os quais: Jonathas de Andrade e Carlos Mélo (Pernambuco), Berna Reale e Armando Queirós (Pará), Virginia de Medeiros (Bahia), Marcone Moreira (Maranhão), Laura Belém e Marilá Dardot (Minas Gerais), Sara Ramo (Espírito Santo), Eduardo Berliner (Rio de Janeiro), André Komatsu e Renata Lucas (São Paulo), Fernando Lindote (Santa Catarina)  e Jaime Lauriano (São Paulo).

Projeto Arte e Indústria


A 7ª edição dá continuidade ao Projeto Arte e Indústria, que acontece pela quarta vez paralelamente ao Prêmio e visa a homenagear artistas cujos processos de criação estão relacionados à produção industrial.

Depois de Abraham Palatnik, Amélia Toledo e Sérvulo Esmeraldo, desta vez, o destaque será a pintora, gravadora, escultora e desenhista carioca Anna Bella Geiger.

A mostra de seus trabalhos e de artistas contemporâneos que dialogam com sua obra vai ser realizada simultaneamente à dos 30 finalistas da 7ª edição, no MAB – FAAP. Trabalhos da homenageada poderão ser vistos também na fase itinerante da exposição dos premiados.