Selo-internas2.png

6ª Edição - 2017/2018


A 6ª edição do Prêmio CNI SESI SENAI Marcantonio Vilaça para as Artes Plásticas (2017-2018) recebeu 633 inscrições, avaliadas pelo júri formado pelo curador do prêmio, Marcus Lontra; pelos críticos Cauê Alves (São Paulo-SP), Jailton Moreira (Porto Alegre-RS), Marcelo Campos (Rio de Janeiro-RJ) e Moacir dos Anjos (Recife-PE), além dos vencedores de edições anteriores: o curador vencedor do 5º Prêmio Marcantonio Vilaça, Divino Sobral (Goiânia-GO) e a artista vencedora do 2º Prêmio Marcantonio Vilaça, Lucia Laguna (Campos dos Goytacazes-RJ).

Oss cinco artistas vencedores foram: Daniel Lanne (Niterói-RJ), Fernando Lindote (Santana do Livramento-RS), Jaime Lauriano (São Paulo-SP), Pedro Motta (Belo Horizonte-MG) e Rochelle Costi (Caxias do Sul-RS). A 6ª edição também premiou o curador Josué Mattos (Criciúma-SC). Saiba mais sobre cada um dos agraciados:

Artistas vencedores

Daniel Lannes (Niterói-RJ)

 

Vive e trabalha no Rio de Janeiro. É mestre em Linguagens Visuais pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e bacharel em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio. Já realizou exposições individuais no Rio de Janeiro e em São Paulo. Em coletivas, seus trabalhos também puderam ser vistos em Brasília e na Califórnia (EUA). Premiado com o prêmio Funarte de Arte Contemporânea 2012, indicado ao PIPA em 2011 e 2012, tem obras em coleções públicas de espaços como o MAR - Museu de Arte do Rio de Janeiro e o MAM - Museu de Arte Mordena, ambos no Rio.

Fernando Lindote (Santana do Livramento-RS)

 

Vive e trabalha em Florianópolis. Antes de se dedicar às artes visuais, atuou como cartunista e chargista de jornais diários do sul do País. Desde então, faz uso de diversas linguagens em seu trabalho – instalações, performances, pintura, fotografia, vídeo, desenho e escultura. Já expôs individualmente em espaços de prestígio como a Galeria Flávio de Carvalho - Funarte (São Paulo); Centro Cultural Banco do Brasil no Rio de Janeiro; Instituto Tomie Ohtake (SP) e MAM - Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro.

Jaime Lauriano (São Paulo-SP)

 

Graduado pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo em 2010, desenvolve trabalhos que examinam as estruturas de poder contidas na produção da História, revelando as relações violentas entre as forças de poder e controle do Estado e os sujeitos sociais. Suas obras utilizam peças audiovisuais, objetos e textos críticos. Recentemente, realizou individuais no Centro Cultural Banco do Brasil no Rio de Janeiro, Centro Cultural São Paulo e SESC/SP. Já expôs também em coletivas no MAR – Museu de Arte do Rio, e no Museu Nacional do Mali. Tem obras em coleções públicas da Pinacoteca do Estado de São Paulo e do MAR.

Pedro Motta (Belo Horizonte-MG)

 

Bacharel em desenho pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), usa a fotografia como suporte para seus trabalhos. Em 2013, recebeu o principal prêmio da fotografia de Portugal, o “BES Photo”, 2013, quando seu trabalho foi exposto no Museu Coleção Berardo, em Lisboa. Realizou individuais em São Paulo, Belo Horizonte (MG) e Montevideo (Uruguai). Publicou os livros “Temprano”, Funarte, 2010 e “Paisagem Submersa”, Cosac Naify, 2008.

Rochelle Costi (Caxias do Sul-RS)

 

Vive e trabalha em São Paulo. Fotógrafa e artista multimídia, formada em Comunicação Social pela Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Porto Alegre, no início da carreira atuou como fotógrafa de teatro e música e, posteriormente, trabalhou com fotografia editorial. A partir de então, começou a desenvolver projetos pessoais, utilizando a fotografia em objetos e instalações. Seus trabalhos já foram expostos em espaços prestigiados como a 24ª Bienal Internacional de São Paulo (1998) e a Bienal de Havana (1997 e 1999). Em 1997, recebeu o Prêmio Marc Ferrez de Fotografia da Funarte e, em 2000, a Bolsa de Artes da Fundação Vitae.

Curador vencedor

Josué Mattos (Criciúma-SC)

 

Josué Mattos é historiador da arte e curador. Graduou-se em História da Arte e Arqueologia na Université Paris X Nanterre, onde obteve o título de Master 1 e 2 em História da Arte Contemporânea. Em 2009, concluiu o mestrado em Práticas Curatoriais, na Université Paris 1 Panthéon-Sorbonne. Desde 2010, realiza ateliês de acompanhamento de projetos de arte, debates e júris de salão de artes. É editor da Revista Binômios, projeto contemplado pelo Prêmio Redes Nacional Funarte Artes Visuais.

Mostras itinerantes

 

Prêmio Marcantonio Vilaça em Fortaleza