indústria de a - z

O que é robótica e como ela está presente no seu dia-a-dia?

Jovem em torneio de robótica configurando um robô

A robótica é umas das áreas mais promissoras para as chamadas profissões do futuro e está cada vez mais presente em nosso dia a dia.

O que é robótica?
 

Robótica é a ciência que estuda as tecnologias associadas a concepção e construção de robôs. Os robôs são mecanismos automáticos que utilizam de circuitos integrados para realizarem atividades e movimentos humanos simples ou complexos. A robótica tem grande aplicação em diversas áreas desde a produção industrial, medicina até atividades domésticas.

O conceito sobre robótica surgiu no início do século XX,  na obra “O Mentiroso” do autor de ficção cientifica Isaac Asimov,

Foi o autor quem criou a palavra ‘robótica’ e foi também ele quem apresentou, no campo da ficção-científica, as Leis da Robótica. 

O termo foi popularizado apenas em 1950 por conta do livro “Eu, Robô”, do mesmo autor.  A obra levantou diversas discussões sobre a relação entre homens e máquinas.

A ideia da criação de máquinas é antiga. Na Grécia Antiga, acreditava-se que os gregos e romanos já desenvolviam diferentes tipos de máquinas capazes de realizar movimentos automatizados.

A edição 2021 do torneio de robótica “First Lego League” está começando e neste ano o tema da temporada deste ano é “Replay” e o tema geral é sedentarismo em crianças e adolescentes e o torneio tem como objetivo estimular a exploração científica.

 

Conheça outros temas: Tecnologia 5G , Engenharia, Segurança Jurídica, Segurança e Saúde no Trabalho 

Nesta página você vai encontrar:
 
Seta bullet point, indicando tópicos de âncoras Seta bullet point, indicando tópicos de âncoras Seta bullet point, indicando tópicos de âncoras Seta bullet point, indicando tópicos de âncoras Seta bullet point, indicando tópicos de âncoras Seta bullet point, indicando tópicos de âncoras Seta bullet point, indicando tópicos de âncoras

Desde 2013, o Serviço Social da Indústria (SESI) é o organizador oficial do Torneio de Robótica FIRST Lego League. 

A cada temporada, estudantes de 9 a 16 anos, de escolas pública e particulares, são desafiados a apresentar soluções inovadoras para determinados temas. 

Na temporada 2020/2021, o desafio RePLAY desafia jovens a repensarem espaços para exercícios, competições e brincadeiras com foco na realidade atual e de olho no futuro. Para isso, eles aplicam conceitos de STEM na criação de projetos de inovação, constroem e programam robôs e colocam eles para completar missões em que o objetivo final é se divertir!

Durante a competição, cada equipe precisa apresentar um projeto com uma solução inovadora para o tema, além de planejar, projetar e construir robôs com peças Lego.

Confira a série especial com depoimentos de estudantes que estudam robótica e participaram dos torneios da CNI. 

As novidades estão no canal do Torneio SESI de Robótica FIRST LEGO League, do Torneio SESI de Robótica FIRST Tech Challenge, e na Agência CNI de Notícias.
 

O que é um robô?
 

Os Robôs são mecanismos automáticos que realizam trabalhos e movimentos humanos. São controlados por humanos e providos de sistemas eletrônicos.

A palavra robô apareceu pela primeira vez em um teatro, na peça “Robôs Teatrais de Rossum”, do tcheco Karel Capek. Isso foi há 100 anos, mas já na naquela época, o robô era símbolo de desenvolvimento tecnológico e grandeza.

Atualmente, a maioria dos robôs existentes está na indústria. Quase 254 mil deles foram comprados pela indústria de todo o mundo apenas em 2015, segundo a Federação Internacional de Robótica (IFR, em inglês).
 

Para que serve a robótica?
 

A robótica tem grande aplicação em diversas áreas desde a produção industrial, até atividades domésticas. Desde a Primeira Revolução Industrial, robôs e outros equipamentos são utilizados para aumentar a produtividade das empresas.

Mas ao contrário do que pensam, a robótica não existe apenas para uso de grandes empresas.
Tarefas cotidianas como limpar a casa, por exemplo, se tornaram menos exaustivas com a ajuda de novas tecnologias e dispositivos que realizam atividades automatizadas. 
 


 

Onde estudar robótica?

 

A rede de escolas do Serviço Social da Indústria (SESI), oferecem em sua metodologia o estudo da robótica como parte da sua grade curricular está presente em cerca de 400 escolas. 

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) já oferta cursos de robótica e programação, de olho nas chamadas profissões do futuro, que tiveram sua demanda por profissionais qualificados, acelerada por conta da pandemia, e do aumento no trabalho remoto.  

Entre os cursos lançados pelo SENAI, destaca-se o de Robótica Colaborativa. 
 

Conheça alguns cursos de robótica à distância 

Robótica colaborativa aplicada ;

Técnico em automação industrial

Técnico em mecatrônica


Acesse a plataforma Mundo SENAI para mais informações. 

 

O que se estuda em robótica?
 

A robótica na escola tem um poder transformador. Crianças e jovens que antes não tinham muito interesse nos estudos de disciplinas como Matemática, Ciências, Física ou mesmo Português, passam a se dedicar com afinco para conseguir programar e desenhar robôs.

Em pouco tempo, é nítida a melhora no desempenho em todas as matérias e um interesse maior pelas áreas ligadas à tecnologia. 

Desde 2006, o SESI conta com a disciplina no currículo de suas escolas em todo o Brasil. Anualmente, são milhares de alunos dos ensinos fundamental e médio desenvolvendo habilidades fundamentais para o profissional 4.0: trabalho em equipe, raciocínio lógico e uma visão crítica do mundo.
 

VEJA TAMBÉM: 7 motivos para seu filho estudar robótica na escola 

 

Alunos de robótica educacional SESI

 

Colocar a mão na massa, também conhecida como cultura maker ou experiência do fazer, é o caminho para a educação do futuro.

Essa cultura se baseia no princípio de que a transmissão de informações é mais efetiva quando as pessoas podem manusear os objetos estudados.

ACESSE NOSSOS PODCASTS

#7 - Tecnologias nos esportes além do VAR


Sucatas e materiais de baixo custo como garrafas pet, estimulam tanto a criação de produtos em empresas, equipamentos em diversos setores da economia e indústria quanto no aprendizado em sala de aula.

Pesquisa realizada pela consultoria JS Brasil com participantes do Torneio SESI de Robótica de 2018 mostra que 94% dos estudantes passaram a se dedicar mais a conteúdos de Exatas depois da participação no torneio.

Além disso, 50% dos entrevistados afirmaram que as notas escolares aumentaram e 76% começaram a acreditar mais em sua capacidade de inovação. 

 

Desafio Covid-19 de Robótica
 

A inovação da robótica contra o coronavírus foi o objetivo de um dos principais torneios de 2020 realizados pelo Serviço Social da Indústria (SESI). Cerca de 1.900 estudantes de todo Brasil – de escolas privadas e públicas – participaram do Desafio Covid-19 de Robótica. O torneio incentivou jovens a pensarem em soluções para a pandemia. 

Filtro sanitizante para banheiros, álcool em gel à base de casca de laranja, sistema que utiliza lâmpada UV para a desinfecção de transportes privados, cabine geradora de ozônio para desinfectar livros em bibliotecas e caixa higienizadora de compras são algumas das inovações criadas por estudantes de todo Brasil. Conheça os projetos vencedores.

 

Quais são os benefícios da robótica?
 

7 motivos para seu filho estudar robótica na escola

 

Profissional do futuro: A robótica educacional estimula competências fundamentais para o profissional 4.0 como espírito investigativo, trabalho em equipe, planejamento, cooperação, diálogo, pesquisa e tomada de decisões. Com foco na abordagem de Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática, a robótica está fomentando novas gerações de engenheiros e pesquisadores que a indústria tanto precisa.

Criatividade e inovação: A robótica vai muito além da programação de robôs. É, principalmente, um processo de aprendizagem. O objetivo é incentivar jovens a pensar de forma criativa, eficiente, lúdica e prática de modo a resolver os problemas gerados pelo que foi estudado em sala de aula. 

Competências socioemocionais: O mercado de trabalho exige muito mais que habilidades técnicas. As competências socioemocionais fazem profissionais se destacarem, e os estudantes que aprendem ainda na escola a adquirirem essas competências se tornam profissionais mais preparados para os desafios da construção de uma carreira.

Desempenho em sala de aula: Pesquisa feita pela FIRST (For Inspiration & Recognition of Science & Technology), organização não-governamental responsável pelo campeonato mundial de robótica, mostra que 88% dos participantes das competições de robótica disseram ter aumentado o interesse em ir para a escola e 80% responderam que passaram a ter interesse em trabalhar em áreas relacionadas a ciência e tecnologia após participar das disputas de robótica.

Empreendedorismo: Para ser um bom empreendedor, é necessário ter planejamento, atuar com metas, otimizar o orçamento, saber trabalhar em equipe e, claro, “vender” muito bem suas ideias. Essas habilidades fazem parte da rotina dos estudantes de robótica educacional. 

Oportunidades no exterior: Quem faz robótica está credenciado a participar dos torneios promovidos no Brasil. Estudantes de escolas públicas e privadas ou até equipes de garagem (sem vínculo escolar) podem disputar. A boa colocação na etapa nacional pode garantir uma vaga para competições internacionais. 

Diversão garantida: Uma das premissas da robótica é que o aprendizado vem junto com a diversão, assim as crianças e adolescentes aprendem brincando, o que aumenta o engajamento e traz uma grande aceitação dos estudantes. 
 

A robótica na Educação Profissional  

 

Na indústria 4.0, os robôs já fazem parte do processo de forma integrada e trabalham em conjunto com humanos. A educação profissional em robótica trabalha de forma ensinar ao aluno como tudo isso funciona e qual a melhor forma de integrar esses robôs ao sistema de produção, tornando-o mais ágil e produtivo.  

Existem uma grande demanda de profissionais qualificados para atuar na indústria. Projeção feita pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) mostra que as áreas de tecnologia e logística, por exemplo, estão em alta e devem gerar mais empregos, assim como para novas ocupações, como o analista de alta conectividade e o orientador de trabalho remoto.  

A expectativa é que surjam, em até cinco anos, novos profissionais para responder, por exemplo, à maior necessidade por internet ultrarrápida em um novo mundo online.  

Profissões já existentes também ganham mais fôlego e devem ter demanda aumentada, como os técnicos em mecatrônica e em telecomunicações

Outra forte demanda é na educação a distância, pois muitos brasileiros descobriram, devido ao isolamento social, as vantagens e limitações de estudar pela internet. 

Como a abordagem e os métodos pedagógicos precisam diferir das aulas presenciais, a avaliação é que há espaço para o surgimento da ocupação de desenvolvedor de aulas para educação a distância e online. 

Além do conhecimento específico, esse profissional deve saber lidar com tecnologias já usadas no ensino, como realidade virtual e aumentada, inteligência artificial e impressão 3D, entre outras. 

Isso deve demandar, prevê o SENAI, profissionais altamente especializados no desenvolvimento de sistemas, programação multimídia, de jogos e ambientes digitais. 

Há previsão também de que as empresas, especialmente industriais, apostem mais em tecnologias da Indústria 4.0, como automação e digitalização, caso persista a necessidade do distanciamento social, e em internet das coisas (IoT), big data e inteligência artificial devido aos novos hábitos de consumo digital dos brasileiros.  

O aumento da difusão da impressão 3D também poderá influenciar na nova organização das cadeias de suprimentos, pois permite a fabricação local de peças simples, sem a necessidade de um longo processo de compra e espera na importação. Durante o período mais agudo da pandemia, a manufatura aditiva ajudou a suprir a falta de peças e insumos destinados à área de saúde.

Diante disso, a projeção é que o especialista em impressão 3D, novo profissional já previsto anteriormente pelo SENAI, deve ganhar mais espaço. Saiba mais sobre as oportunidades

 

A robótica também tem podcast e programa no Youtube!

 

O programa Muito Além dos Robôs é um bate-papo mensal sobre as diferentes aplicações da robótica na vida das pessoas. Tem entrevista, tem inovação e tem muita ideia para os projetos de inovação das equipes.  

Quer escutar?  

Spotify: http://spoti.fi/3qaUf35  

Google podcasts: https://bit.ly/3gvcFI4  

Deezer: http://bit.ly/2K9xKfB

 

E quem curte robótica tem um programa mensal no Youtube sobre tudo que está rolando no mundo da robótica educacional e nas competições do Festival SESI de Robótica. Olá, Mundo, além de um marco da iniciação tecnológica também é o nome do programa da robótica. Venha conhecer! https://bit.ly/2Liu8sk

 

E para ficar atualizado sobre os temas da robótica e das competições do Festival SESI de Robótica, não deixe de seguir as redes sociais:

https://www.instagram.com/festivalsesiderobotica 

https://www.facebook.com/FestivalSESIdeRobotica