1ª Edição - 2004/2006

A primeira edição do Prêmio (2004-2006) recebeu 927 portfólios, que foram submetidos ao júri de seleção formado por Lisette Lagnado Dwek (SP), Marcus Lontra (RJ) e Rodrigo Moura (MG). Desse total, foram classificados trinta artistas. Na segunda fase de seleção, esses trinta artistas passaram pelo júri de premiação, formado por Moacir dos Anjos (PE), Paulo Herkenhoff (RJ) e Paulo Reis (PR).

Foram escolhidos cinco vencedores: Lucia Koch (RS), Marilá Dardot (MG), Paula Trope (RJ), Renata Lucas (SP) e Thiago Rocha Pitta (RJ). Saiba mais sobre cada vencedor:

 

Lucia Koch (RS)

 
Lucia Koch realiza uma pesquisa visual fundada na plasticidade da luz, vista como matéria que constitui e aciona novos entendimentos do espaço real. Em sua pesquisa fotográfica, trabalha com a subversão das escalas e revela uma fina e imperceptível arquitetura de objetos cotidianos.
Entre suas principais exposições estão uma individual na galeria Casa Triângulo (São Paulo, 2002) e as coletivas "Antarctica artes com a Folha" (São Paulo, 1996), II Bienal do Mercosul (Porto Alegre, 1999), Bienal de Pontevedra (Espanha, 2000), "Panorama da arte brasileira" (São Paulo, 2001) e 8º Bienal de Istambul (Turquia, 2003).
 

Marilá Dardot (MG)

 
Marilá Dardot demonstra em seus trabalhos uma forte capacidade de articular os meios eletrônicos e os tradicionais para a construção de uma poética da palavra, desde a sua estrutura semântica até as filigranas dos significados. Dentre as mostras das quais participou, destacam-se as individuais "Modos de usar"(2003) e "Solto, cruzado e junto" (2004), ambas na galeria Vermelho (São Paulo). Possui ainda, desde 1998, uma produção artística desenvolvida em parceria com a artista Cinthia Marcelle. 
 

Paula Trope (RJ)​

Paula Trope propõe uma produção artística comprometida com a sociedade, por meio de fotografias e vídeos fundamentados em opções estéticas e políticas. Sua arte funciona como um processo de negociação social que possibilita a emergência da individualidade do sujeito excluído da sociedade.
Realizou exposições individuais na galeria Camargo Vilaça (São Paulo, 1996), no Paço Imperial (Rio de Janeiro, 1997) e no Espaço Cultural Sérgio Porto (Rio de Janeiro, 2003), entre outras, e participou de coletivas, como "Coleção de fotografia do MAM"(São Paulo, 2002), "O cinema na fotografia contemporânea"(galeria LGC Arte Hoje, Rio de Janeiro, 2003) e "A subversão dos meios" (Instituto Itaú Cultural, São Paulo, 2003-4). 

 

Renata Lucas (SP)​

Renata Lucas apresenta em sua pesquisa, informada pela tradição construtiva brasileira, o defrontar-se com a arquitetura dos espaços, sejam urbanos, ativando assim desde a constituição topográfica desse espaços até um olhar crítico sobre as estruturas institucionais e sobre os espaços que nos cercam.
Dentre as exposições das quais participou, destacam-se as individuais "Barravento" (galeria 10,20 x 3,60, São Paulo, 2001), "Comum de dois"(Centro Universitário Maria Antônia, São Paulo, 2002), "Mau gênio"(Museu de Arte de Pampulha, Belo Horizonte, 2002)e "Cruzamento"(Castelinho do Flamengo, Rio de Janeiro, 2003). Participou ainda das coletivas Salão de Arte de Riberão Preto (2001), Salão Paranaense (2002), Bienal de Santos (2004) e "Posição 2004", no Parque Lage (Rio de Janeiro, 2004). 
 
 

Thiago Rocha Pitta (RJ)​

 
Thiago Rocha Pitta traz em seu projeto poético, dirigido para a experimentação com diversas linguagens, uma articulação de conceitos filosóficos, sinalizada pela discussão do sublime, e uma interpretação cultural da natureza. Nascido em 1980, é o mais jovem dos artistas premiados.
Sua carreira iniciou-se no Rio de Janeiro em 2001, com o 3º prêmio Interferências Urbanas (no evento "Arte de portas abertas", em Santa Teresa) e com a exposição individual "A cópula e os espelhos"(no Castelinho do Flamengo). Realizou ainda exposições individuais no Espaço Cultural Sérgio Porto (Rio de Janeiro, 2002), no Museu de Arte de Pampulha (Belo Horizonte, 2003) e na galeria A Gentil Carioca (Rio de Janeiro, 2003).

 

Os cinco artistas foram acompanhados pelos seguintes consultores: Moacir dos Anjos, Ivo Mesquita (SP), Paulo Herkenhoff, Lorenzo Mammì (SP) e Paulo Sérgio Duarte (RJ).

A mostra itinerante da primeira edição passou pelas seguintes cidades:

  • Brasília (DF) - Sede da CNI
  • São Paulo (SP) - Instituto Tomie Ohtake
  • Rio de Janeiro (RJ) - Museu Nacional de Belas-Artes
  • Porto Alegre (RS) - Usina do Gasômetro
  • Belém (PA) - Casa das 11 Janelas
  • Recife (PE) - Museu de Arte Moderna Aloisio Magalhães, que recebeu as doações dos cinco artistas

 

Fotos das Exposições Itinerantes

Marcantonio Vilaça primeira edição