Formação de excelência

Investimentos em educação básica e profissional para
estimular um Brasil produtivo, inovador e competitivo

 

 

A educação de qualidade e a formação profissional orientada às necessidades do mercado de trabalho são fundamentais para o desenvolvimento do Brasil. Trabalhadores bem formados sabem utilizar e interpretar novas tecnologias, antecipam tendências, propõem produtos e processos mais eficientes. Esses trabalhadores ajudam a elevar a produtividade, estimulam a inovação e são essenciais para que a indústria brasileira supere a crise atual e ganhe competitividade.

No atual cenário de recessão e desemprego, o Sistema Indústria reafirmou a necessidade de o país investir na educação básica e profissional. Ao longo de 2015, SENAI e SESI intensificaram as ações voltadas à qualidade da educação, como a atualização dos currículos, a adoção de novas tecnologias educacionais, a formação continuada de docentes e o aperfeiçoamento da gestão escolar.

Com investimentos permanentes em iniciativas que buscam o desenvolvimento de competências e habilidades dos trabalhadores, a indústria brasileira construiu um modelo de educação profissional reconhecido internacionalmente.

Prova da excelência das escolas do SENAI é o desempenho dos jovens formados pela instituição na WorldSkills, a olimpíada internacional de profissões técnicas. Em 2015, os competidores brasileiros ficaram em primeiro lugar na 42ª WorldSkills realizada de 12 a 15 de agosto, em São Paulo.

 



A competição é organizada pelo WorldSkills International, uma instituição que reúne entidades de 75 países que estimulam a formação profissional dos jovens. Ocorre desde 1950 a cada dois anos em diferentes países.

O jovem Luís Carlos Sanches Machado Júnior, 20 anos, aluno do SENAI, foi o primeiro brasileiro a receber o Prêmio Albert Vidal na WorldSkills. O prêmio reconhece o competidor que atinge a pontuação mais alta do torneio. Machado Júnior empatou em pontuação com outros dois competidores da WorldSkills em São Paulo: o sul-coreano Jeong Woo Seo, em Tecnologia Automotiva, e a britânica Rianne Chester, em Estética e Bem-Estar. 
 

 

 

Educação | Autonomia e inovação

Cursos de excelência e formatos diferenciados
para atender às demandas da sociedade e da indústria

 

O SENAI tem uma metodologia de ensino própria voltada às necessidades das indústrias e aposta em formatos educacionais diferenciados e inovadores. Além dos cursos presenciais, oferece 82 cursos a distância — 22 técnicos e 60 de qualificação — e 14 cursos de iniciação profissional. Em 2015, foram registradas 1.226.761 matrículas na educação a distância em cursos de iniciação profissional, formação inicial e continuada e cursos técnicos.

Para responder à crescente demanda atual por métodos de trabalho que estimulem e incorporem a colaboração, o SENAI lançou em 2015 o projeto Desafio de Projetos Integradores, um concurso anual com o objetivo de desenvolver as competências de trabalho em equipes, resolução de problemas e elaboração de projetos. Ao todo, participaram do desafio 2.500 alunos e docentes e 570 projetos foram inscritos.

Avaliação positiva - O índice de apropriação da Metodologia SENAI de Educação Profissional (MSEP) foi avaliado como muito bom por alunos, docentes, coordenadores pedagógicos e diretores regionais do SENAI. A constatação é da pesquisa feita em 2015 com mais de 21 mil entrevistados. Numa escala de zero a dez, o índice de apropriação da Metodologia SENAI de Educação Profissional foi 8,19. Com base nos resultados da pesquisa, os Departamentos Regionais elaboraram um plano de ação objetivando a excelência.

 

 

Educação | Novas tecnologias e qualificação

Renovação constante de metodologia e
investimento em tecnologia educacional

 

O SENAI também trabalha permanentemente para que seus recursos educacionais estejam sempre atualizados com os avanços e demandas da indústria. O Programa SENAI de Tecnologias Educacionais identifica inovações capazes de melhorar a prática educacional e garante a oferta de ferramentas didáticas modernas e eficazes — aplicativos de mobile learning, ferramentas, vídeos e simuladores em 3D, videoaulas, robótica, objetos de realidade aumentada, repositório de mídias digitais.

Em 2015, a entidade desenvolveu 386 objetos de aprendizagem voltados para os cursos técnicos de redes de computadores, eletroeletrônica e saúde e segurança do trabalho. Os aplicativos de realidade aumentada e SENAI App estão à disposição dos estudantes nas lojas Google Play e Apple Store.

Outro foco importante do SENAI é a formação de professores. Em 2015, o Programa SENAI de Capacitação Docente realizou 8.325 matrículas de docentes de todos os Departamentos Regionais.

 

 

Educação | Inclusão e certificação de pessoas

Ações inclusivas e adequação do currículo estimulam a
atuação de profissionais com deficiência no mercado de trabalho

 

O SENAI mantém ainda iniciativas para a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. Em 2015, o Programa SENAI de Ações Inclusivas (PSAI) atingiu a marca de 26.926 matrículas de pessoas com deficiência e capacitou 2.592 docentes em Libras, Informática para Cegos, Audiodescrição e na Metodologia de Adequação de Cursos para a Inclusão de Pessoas com Deficiência.

Ao longo do ano, a entidade trabalhou também para adaptar-se ao novo Estatuto da Pessoa com Deficiência, instituído em julho de 2015 pela Lei nº 13.146. Sete novos cursos foram adequados para atuação na inclusão em deficiência auditiva, física e intelectual, e 64 livros didáticos acessíveis foram produzidos.

 

 

Educação | Educação básica

Currículo inovador para elevar a escolaridade do trabalhador brasileiro

 

Em suas 593 escolas espalhadas pelos 26 estados e no Distrito Federal, o SESI proporcionou educação básica para 371.336 crianças, jovens e adultos. A instituição, que ajuda o país a elevar a escolaridade dos trabalhadores, concentra sua atuação em três eixos: Educação de Jovens e Adultos, Educação Básica articulada à Educação Profissional e Educação Continuada com foco no mundo do trabalho.

Na Educação de Jovens e Adultos, em 2015, o SESI implementou projeto pedagógico inovador para o ensino fundamental e médio destinado para alunos com 15 anos ou mais. Os currículos ficaram mais flexíveis e são adaptados à realidade e ao conhecimento que os alunos já possuem. Nessa modalidade, o SESI atendeu 170.492 matrículas.

Na educação básica, o SESI também reformulou o currículo do ensino médio para uma educação voltada para o desenvolvimento humano e o mundo do trabalho. Assim, 58.935 alunos do ensino médio do SESI estudam as disciplinas do núcleo básico comum mais quatro disciplinas transversais.

O programa Educação Continuada oferece cursos, palestras, workshops para o desenvolvimento de competências e a atualização de conhecimentos profissionais. Em 2015, o SESI totalizou 1.986.880 atendimentos em ações de Educação Continuada. Entre eles os atendimentos do projeto Trilhas de Aprendizagem, que ajuda empresas a identificar funções estratégicas que precisam ser desenvolvidas por seus trabalhadores.

 

Educação | Inspiração para crianças

Jovens das escolas SESI são incentivados a serem
criativos e inovadores e investirem em carreiras de tecnologia

 

Para despertar o interesse das crianças pela ciência e tecnologia, o SESI realiza o Torneio de Robótica FIRST® LEGO® League (FLL), resultado de uma parceria com a instituição americana FIRST e o Grupo LEGO. A iniciativa fortalece a capacidade de inovação, criatividade e raciocínio lógico, inspirando crianças e jovens de 9 a 16 anos a seguir carreiras no ramo de engenharia, matemática e tecnologia, fundamentais para promover a inovação na indústria.

Em 2015, deu-se início à nova temporada bienal do Torneio. Foram realizadas 11 rodadas regionais e uma etapa nacional, com as 70 melhores equipes de todo o país. O desafio Trash Trek (Trilha do Lixo) demandou que os alunos buscassem soluções para a coleta, o manejo, o destino e o reaproveitamento do lixo.

O SESI realizou também em 2015 o Festival SESI de Robótica FIRST LEGO League (FLL), com mais de 600 estudantes de 9 a 16 anos de idade de escolas públicas e particulares de São Paulo. As 60 equipes apresentaram projetos que iam da construção de maquetes com caixinhas de leite para usos didáticos até o tratamento do lixo para utilização no processo do biogás.

 

 

Educação | Qualidade na gestao escolar

Avaliação e reconhecimento para escolas de excelência

 

Ainda em 2015, o SESI adotou o Programa de Gestão Escolar de Qualidade em cinco escolas, como projeto-piloto, para aprimorar e modernizar práticas de gestão institucional e pedagógica que impactem positivamente a aprendizagem dos alunos.

As escolas bem avaliadas na adoção do programa recebem um selo de qualidade em gestão, com validade para um período de três anos. A metodologia adotada pelo SESI é adaptada de uma experiência no Chile da Fundación Chile.

 

 

Educação | Desenvolvimento de carreiras

Com o IEL, empreendedores e gestores podem desenvolver
competências e aumentar a competitividade

 

O Instituto Euvaldo Lodi (IEL) mantém programas que preparam os empresários para aperfeiçoar a gestão e vencer os desafios do futuro, orienta jovens na construção de uma carreira de sucesso e estimula o empreendedorismo.

O Programa de Educação Executiva do IEL promove, há 15 anos, a interação entre a indústria e centros de conhecimento ao desenvolver conteúdos e metodologias adequadas às necessidades de aprendizado prático e aplicável dos empresários e dirigentes de empresas. Em 2015, foram capacitados 45.487 empresários em cursos de curta e longa duração, nas modalidades presencial e a distância. Entre os cursos, está o Programa de Capacitação Empresarial para Pequenos Negócios, em parceria com o Sebrae. No ano, 700 empresários e gestores empresariais receberam treinamento em mercado, processos e pessoas.

O IEL criou ainda o MBA em Gestão Industrial, em parceria com a Faculdade da Indústria. O objetivo é desenvolver competências em gestores de indústrias para projetos de ganhos de produtividade ou processos de aumento da competitividade da indústria. A iniciativa é realizada nos estados de Alagoas, Amazonas, Ceará, Bahia, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Paraíba, Maranhão, Goiás e Paraná.

Ao longo do ano, 5 mil jovens participaram das atividades do Fórum IEL de Carreiras, projeto destinado a jovens de 17 a 25 anos, preferencialmente universitários ou recém-formados. Os fóruns promovem palestras com a participação de jovens empreendedores bem-sucedidos, como o fundador da Easy Táxi, Tallis Gomes, o criador do Play the Call, Edgard Gouveia, o empreendedor Du Migliano, a criadora da ONG FazInova, Bel Pesce, além de shows, sessões de coaching e oficinas temáticas que orientam a carreira do jovem profissional.

Ainda em 2015, 22 mil pessoas participaram das ações de disseminação da cultura e da prática do empreendedorismo, que organizou palestras em todo o Brasil com a empreendedora Bel Pesce e divulgou os serviços do IEL nos estados.