Competitividade para Micro e Pequenas

Investimento em projetos e empresas de
pequeno porte para obter grandes resultados

 

 

O Programa de Apoio à Competitividade das Micros e Pequenas Indústrias (Procompi)  apoia projetos de qualidade e produtividade, acesso a mercados, capacitação empresarial, melhoria da gestão, adequação de produtos e serviços a normas e requisitos técnicos legais, redução de custos, gestão ambiental e outros. Criado em 2000, em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o Procompi já beneficiou mais de 6.600 empresas, destinando recursos para 358 projetos. 

Os projetos são propostos pelas federações de indústrias em parceria com as unidades estaduais do Sebrae, empresas, sindicatos industriais, universidades, prefeituras e secretarias estaduais e municipais de desenvolvimento. 

Na sua última edição (2010-2015), o programa prestou serviços a 2.298 empresas em consultorias, capacitações e ações de mercado. Os principais setores beneficiados foram alimentos e bebidas, cerâmica vermelha, madeira e móveis, metalmecânico, têxtil e confecções, gráfico e reparação de veículos. 

Entre os resultados alcançados está o aumento médio de 29% na produtividade das empresas participantes, redução dos custos de produção em 23% das indústrias e aumento de faturamento para 34% dos empreendimentos. 

 

 

Estímulo ao investimento

Atuação junto a micro e pequenas empresas
para ampliar a capacidade de investimento

 

A instalação de Núcleos de Acesso ao Crédito nas federações estaduais visa à ampliação da capacidade de investimento das micros e pequenas empresas. Os núcleos oferecem aos empresários orientações financeiras para a empresa e informações sobre as linhas de crédito disponíveis. Também dispõem de apoio para elaboração de projetos e orientações para acessar as linhas de financiamento. 

Cinco federações já assinaram o acordo de cooperação e outras cinco estão em processo de assinatura para a formação dos núcleos. Entre as ações em 2015, estão parcerias com entidades empresariais e de fomento, estruturação de portfólio de produtos e serviços e lançamento de seis cartilhas para desmitificar o acesso ao crédito. 

 

 

Diagnósticos empresariais

Ferramentas consagradas ajudam a aprimorar
a gestão de pequenos e médios negócios

 

A CNI é uma das executoras do programa FINPYME Diagnostics, desenvolvido pela Corporação Interamericana de Investimento (CII), membro do grupo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

O programa identifica pontos fracos e fortes e necessidades na gestão das empresas e oferece aos empresários um plano detalhado para melhorar a competitividade dos negócios. Em quatro anos, 120 pequenas e médias empresas no Ceará, Pernambuco e Paraíba foram beneficiadas pelo programa. 

 

Incentivo à produtividade

Programa-piloto apontou melhorias em empresas e
aplicou ações de baixo custo com resultado surpreendente

 

O programa Indústria+Produtiva, em parceria com SENAI, IEL e federações de indústrias, ajudou as empresas a aumentar a produtividade, a partir de pequenas ações de baixo custo e sem investimentos em novas máquinas ou contratação de pessoal. 

Em dois anos, 18 empresas participaram do projeto. Uma consultoria em processo produtivo indicava ações de redução de desperdícios com material, energia, movimentação das pessoas, horas extras e outros. Em média, as empresas participantes registraram aumento de 42% na produtividade e redução de mais de 70% na movimentação dos operadores. Esses ganhos garantiram retorno de oito a 108 vezes o investimento realizado. 

Os resultados do piloto inspiram o desenvolvimento de programa integrado de atendimento às empresas a partir de 2016, que reunirá competências de CNI, SENAI e IEL, e parcerias com entidades governamentais e setoriais para o desenvolvimento de programas semelhantes. 

 

Internacionalização de empresas

Consultorias, capacitações e apoio em eventos e feiras para
estimular a atuação de empresas brasileiras no exterior

 

Em 2015, a Rede de Centros Internacionais de Negócios (Rede CIN) realizou 43 mil atendimentos a 6.612 empresas em serviços de inteligência comercial, capacitação, consultoria, prospecção, participação em feiras, rodadas de negócios e visitas técnicas no exterior. A rede é coordenada pela CNI. 

Entre os serviços mais procurados pelos empresários, estão a emissão do Certificado de Origem Digital — documento que comprova que a mercadoria atende a critérios de produção previamente estabelecidos —, as capacitações empresariais e iniciativas de promoção de negócios no Brasil e no exterior. As empresas atendidas pela rede exportaram mais de 5,3 mil produtos para 209 mercados no ano passado, o que representou mais de US$ 17 bilhões em negócios. 

Para promover a internacionalização da indústria brasileira, a Rede CIN mantém parcerias com outras instituições. Com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), os CINs prestaram serviços para 851 empresas em 24 estados. As rodadas e missões empresariais ao exterior resultaram em negócios estimados em mais de US$ 158 milhões, o que supera o desempenho observado em 2014 tanto em número de empresas (crescimento de 55%) quanto em volume de negócios (42% maior do que no período anterior). Com o Sebrae, a Rede CIN capacitou 1.920 empresários em 19 estados e no Distrito Federal para prepará-los para dar os primeiros passos a caminho da exportação. 

 

Qualificação de fornecedores

Aprimorando a interação entre empresas e fornecedores
para gerar mais competitividade nas cadeias produtivas

 

O Programa de Qualificação de Fornecedores, do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), que atendeu 1,5 mil empresas em 2015, oferece consultorias e cursos de capacitação de gestores. O objetivo é aumentar a qualidade dos produtos e insumos de empresas de pequeno, médio e grande portes, fortalecer cadeias produtivas e incentivar a interação entre a indústria e seus fornecedores. 

Em 2016, o programa atuará no aumento da produtividade e na certificação de empresas e cadeias produtivas, promovendo a redução de custos e a melhoria contínua dos processos e gestão nas empresas. 

 

 

Propriedade intelectual para inovação

Com cursos e palestras, a CNI difunde a importância
de proteger bens derivados da atividade criativa

 

A iniciativa da CNI, lançada em 2010, oferece capacitações aos empresários sobre o valor da propriedade intelectual para empresas e sociedade. Em parceria com o SENAI, o programa já capacitou 426.693 pessoas em curso a distância sobre propriedade intelectual. Em 2015, foram realizadas nove turmas presenciais do curso, com 200 participantes. 
 

 

 

Fortalecimento dos sindicatos e das indústrias

Com cursos e palestras, a CNI difunde a importância
de proteger bens derivados da atividade criativa

 

O programa oferece cursos, informações, treinamentos e ferramentas para melhorar a gestão, aumentar a produtividade e ganhar competitividade para sindicatos e indústrias. Entre as ações do programa em 2015 estão a formação e a atualização dos gestores sindicais e o estímulo à adoção de ferramentas e modelos de gestão e comunicação dos sindicatos. 

Entre as ações do Programa de Desenvolvimento Associativo, em 2015, para o fortalecimento dos sindicatos e das indústrias, destacam-se: 
 

O programa realizou 169 capacitações, como cursos e oficinas sobre negociação coletiva, mobilização para a defesa de interesses e atendimento consultivo. Seu objetivo é formar e atualizar os gestores sindicais.

 

Com o objetivo de estimular a adoção de ferramentas e modelos de gestão e comunicação dos sindicatos, esse eixo do programa desenvolveu um modelo para estruturação de condomínio sindical que orienta os sindicatos a compartilhar recursos físicos e pessoal. Também desenvolveu planejamentos estratégicos, plataformas de criação e gestão de sites e boletins eletrônicos.

 

Pesquisa com indústrias sobre a atuação dos sindicatos empresariais subsidiou a adoção e desenvolvimento de ferramentas de inteligência sindical. Elaborou-se ainda o Catálogo Online de Boas Práticas Sindicais, com 100 experiências de sucesso. 

 

Foram realizados 573 cursos para empresários sobre questões trabalhistas e tributárias, meio ambiente e normas regulamentadoras de saúde e segurança no trabalho. Os serviços são destinados a desenvolver e fornecer serviços para compor o portfólio dos sindicatos empresariais da indústria. 

 

O objetivo desse eixo de ação é promover e fortalecer o relacionamento dos sindicatos empresariais com entidades do Sistema Indústria, empresas e sociedade. Em 2015, foram realizados 12 intercâmbios entre lideranças setoriais, que reuniram mais de 200 presidentes de sindicatos para debate de temas de interesse comum.

Também foram organizadas 20 mesas-redondas sobre gestão sindical eficiente e 56 encontros com contadores, que aproximam sindicatos e federações dos contadores que prestam serviços às indústrias para troca de ideias e experiências.