www.cni.org.br

http://cni.org.br/noticias/123465978

Mapa 2013-2022: Infraestrutura



INFRAESTRUTURA

Para ter uma indústria cada vez mais competitiva, o país precisa ter uma rede eficaz de transportes que interligue os diferentes modais, além de oferecer disponibilidade de energia, uma estrutura adequada de transmissão de dados em alta velocidade (banda larga) e serviços de saneamento universalizados.

Uma infraestrutura eficiente reduz custos para as empresas e para a população. Por isso, o tema está entre as principais metas do Mapa Estratégico da Indústria 2013-2022. A proposta da CNI é que a participação do investimento em infraestrutura passe de 2% do Produto Interno Bruto (PIB), em 2011, para 5% em 2022.     



A situação da infraestrutura brasileira coloca o país em  desvantagem no mercado internacional. O Brasil ocupa a 70ª posição no quesito infraestrutura no ranking Global Competitiveness Report 2012-2013, patamar abaixo da média dos países no mesmo estágio de desenvolvimento. Dentro deste quesito, o país apresenta classificações muito ruins em temas com forte impacto na competitividade da indústria, a exemplo da qualidade dos portos (135º), aeroportos (134º), rodovias (123º) e ferrovias (100º).  O mesmo relatório coloca o país na 68ª posição no item qualidade do fornecimento de energia elétrica.

Em relação a telecomunicações, o Brasil passou do 54º lugar em 2002 para o 60º lugar em 2011 segundo o ”ICT Development Index (IDI)” produzido pela United Nations International Telecommunication Union  (UIT). O resultado indica que o Brasil está defasado no aproveitamento dos benefícios que as Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) propiciam. No que se refere ao saneamento, o Brasil ainda precisa avançar muito: 46,2% da população possui acesso à rede de esgoto, enquanto 81,1% possuem acesso á água potável.


Visao2022Os investimentos públicos e privados em infraestrutura serão ampliados significativamente até 2022. O sistema logístico brasileiro ficará mais eficiente e integrado, com melhor distribuição entre os modais. O sistema ferroviário e a navegação por cabotagem ganharão participação na movimentação de cargas, enquanto as rodovias melhorarão de qualidade e os portos ampliarão a capacidade e eficiência. O fornecimento de energia a preços competitivos em relação aos demais países e a boa qualidade dos serviços de banda larga contribuirão para a competitividade da indústria.

SAIBA MAIS
Conheça as propostas que a CNI possui para aumentar a eficiência da infraestrutura do país: