http://portaldaindustria.com.br/agenciacni/

Notícias

29 Out 2012

Seis setores da indústria devem criar 625 mil vagas até 2015

Mapa do Trabalho Industrial, elaborado pelo SENAI, identifica áreas da economia
que precisarão de profissionais qualificados para preencher os  novos empregos

As construtoras, as empresas de prestação de serviços à indústria, as fábricas de veículos, as de máquinas e equipamentos, as de alimentos e bebidas e as de roupas e acessórios serão responsáveis por 52% das vagas que devem ser criadas na indústria até 2015. Isso significa a criação de 625 mil postos de trabalho, informa o novo recorte do Mapa do Trabalho Industrial 2012, elaborado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), que revela os setores da economia com maior demanda por novos profissionais.

A pesquisa estima que a indústria brasileira vai criar 1,1 milhão de empregos para profissionais de nível técnico e de média qualificação nos próximos três anos.  Além disso, prevê que o setor precisará qualificar 6,1 milhões de trabalhadores para acompanhar os avanços tecnológicos. “A criação das novas vagas depende da continuidade da estabilidade econômica e da retomada do crescimento no país. Assim, os setores de maior demanda são aqueles intimamente ligados ao consumo das famílias”, explica o diretor-geral do SENAI, Rafael Lucchesi.

O Mapa do Trabalho Industrial 2012 foi elaborado pelo SENAI para subsidiar o planejamento da oferta de formação profissional da instituição. A pesquisa também pode apoiar os jovens brasileiros na escolha da profissão e, com isso, aumentar suas chances de ingresso no mercado de trabalho.

NOVO PERFIL DO PROFISSIONAL – Entre os profissionais de técnicos, a ocupação que lidera a demanda, com mais de 16 mil vagas, é a de técnico em construção civil. Esse profissional é responsável por desenvolver levantamentos topográficos, elaborar planilhas de orçamento e controle, e supervisionar a construção de edificações. Entre outras atividades, inspeciona a qualidade de materiais e serviços para assegurar sua conformidade com projetos e normas de construção.

Depois dessa ocupação, vem o técnico de controle da produção nas montadoras de veículos (com 9,5 mil vagas) e no setor que presta serviços principalmente às empresas (com 8.255 vagas). Em seguida, está o operador de máquinas de usinagem por controle numérico computadorizado (4,7 mil vagas).

Os técnicos de controle da produção são os profissionais responsáveis pelos processos da produção e o suprimento de materiais para assegurar a integridade e a conformidade com normas e especificações. Para isso, elabora relatórios e mantém registros de produção, planeja a manutenção de máquinas e equipamentos.

Os operadores de máquinas de usinagem por controle numérico computadorizado calculam e ajustam a alimentação e a velocidade das máquinas, o tamanho e a posição de cortes para a criação de peças. Para isso, posicionam ferramentas e programam as máquinas para as operações e alteram para realizar ajustes ou corrigir falhas de produção.

Importante fato revelado nesse recorte do Mapa do Trabalho Industrial é que as três ocupações de nível técnico com maior demanda por trabalhadores qualificados exigem conhecimento de matemática e programação em computador. A necessidade por esse perfil profissional  segue a tendência de aumento a demanda por qualificação, que, para o período 2012-2015, é 24% maior que a registrada em 2008-2011, quando a necessidade de profissionais ficou em 5,8 milhões.

Já entre os profissionais cuja formação é feita em cursos profissionalizantes com mais de 200 horas, a maior necessidade é por operadores de máquinas de vestuário (25 mil vagas), seguidos dos operadores de instalações e máquinas de produtos plásticos e de borracha (11 mil vagas) e dos marceneiros (10 mil).

Comentários