PROPRIEDADE INTELECTUAL

NOTÍCIAS

23 de Março de 2015 às 14:59

Robôs conectados a impressoras 3D vão revolucionar a casa

O salão de alta tecnologia CeBIT, de Hannover, que terminou ontem, apresentou as impressoras 3D como a solução para problemas que vão da cópia de uma aliança de casamento a uma peça de reposição da máquina de lavar roupas. O encontro dedicado às inovações trouxe robôs conectados a impressoras 3D capazes de transformar casas e escolas em laboratórios de engenheiros ou em minifábricas.

Entre os diversos projetos expostos, o Robochop é, sem dúvida, um dos mais impressionantes: grandes braços articulados modelam, com a ajuda de um fio metálico quente, grandes blocos de espuma, formando móveis ou esculturas.

O projeto, a meio caminho entre o espetáculo de alta tecnologia e arte, ofereceu aos usuários da internet criar seus próprios desenhos e enviá-los para os robôs, que são responsáveis por fabricá-los. As 2.000 “esculturas” mais interessantes serão enviadas gratuitamente aos criadores, em qualquer lugar do mundo, garantem os inventores do Robochop, Clemens Weisshaar e Reed Kram.

“Esses robôs são minifábricas que não estão conectadas ao proprietário da fábrica, mas ao mundo inteiro”, explicou Weisshaar. “Isso é o que vai mudar totalmente nos próximos anos: o programa permitirá que os usuários controlem a máquina sem o conhecimento que você precisaria ter caso comprasse o robô”, garante ele.

Na verdade, a impressora 3D tem sido uma valiosa ferramenta para desenvolvedores, engenheiros, arquitetos e pesquisadores que a utilizam para criar modelos ou protótipos. “A tecnologia remonta a mais de 25 anos, mas ela estava cheia de patentes”, explicou Sara Bonomi, da Formlabs, que fabrica impressoras 3D de alta resolução para escritórios, capazes de modelar com muita precisão objetos de resina, de joias a dentaduras, passando pelas espaçonaves que apareceram no filme “Interstellar”.

Agora que o preço tornou-se mais acessível, essa tecnologia deve entrar nas residências e mudar a vida das pessoas, previu a empresária. “No futuro, seremos capazes de personalizar anéis e sapatos e imprimi-los em nossas casas”, explica ela, reconhecendo que isso vai representar um aumento da falsificação e problemas com direitos de autor.

“Em 10 anos, o mundo será muito mais fácil”, avalia Vitezslav Musilek, da be3D. “Se você precisa de uma peça de reposição ou um novo produto, você pode baixá-lo a partir de um site, ou fazer o seu próprio layout para imprimir em sua impressora 3D”, explica.

Flash

Patentes. As patentes da impressão 3D expiraram recentemente, por isso essa indústria está sendo desenvolvida agora. A tecnologia está disponível para todos.

* Disponível em http://www.otempo.com.br/interessa/tecnologia-e-games/robôs-conectados-a-impressoras-3d-vão-revolucionar-a-casa-1.1012623