PROPRIEDADE INTELECTUAL

NOTÍCIAS

16 de Novembro de 2013 às 00:00

China anuncia maior plano de reformas em quase 30 anos

A China anunciou nesta sexta-feira (15) as maiores reformas econômicas e sociais em quase 30 anos. Veja na reportagem de Alan Severiano.

É a promessa de uma nova era na China. Há oito meses no cargo, o presidente Xi Jinping resumiu o espírito das reformas. "Temos de ter coragem e convicção para renovar a nós mesmos", disse.

Com a economia crescendo menos, a China vai abrir o mercado para bancos privados e estimular a competição. O governo promete mais respeito à propriedade intelectual e aos donos de terras. E medidas para combater a desigualdade.

Pequim também decidiu reduzir o número de crimes que podem ser punidos com a pena de morte e fechar os campos de reeducação e trabalho forçado, criados nos anos 50. Cem mil pessoas, incluindo opositores do regime, são mantidas nesses campos sem julgamento.

Outra novidade é o relaxamento da política de controle da população, que há décadas limita os casais a terem apenas um filho nas áreas urbanas. Com a medida, se o marido ou a mulher for filho único, eles poderão ter duas crianças.

As décadas de repressão levaram milhões de chineses a mudar de país em busca de oportunidades. Muitos vivem em Chinatown, o bairro mais oriental de Nova York. As mudanças anunciadas nesta sexta-feira (15) foram bem recebidas pelos imigrantes.

“É uma maneira de eles manterem o poder, mas acho que melhora a imagem do país”, diz uma mulher.

Para Jerome Cohen, um dos maiores especialistas em China dos Estados Unidos, as medidas são uma forma de injetar ânimo e conter a insatisfação num país que está envelhecendo antes de ficar rico.

Não há data para as reformas entrarem em vigor, mas a China espera resultados até 2020.

* Matéria veiculada em 15/11/2013