PROPRIEDADE INTELECTUAL

NOTÍCIAS

1 de Julho de 2013 às 15:47

Brasil está 'na lanterna' dos produtos com selo de origem

O Brasil está engatinhando na certificação de produtos com indicação geográfica - um tipo de selo de qualidade para produtores de uma certa região. Levantamento inédito da Confederação Nacional da Indústria (CNI) para O GLOBO mostra que o país tem apenas 41 registros e está longe dos 104 da Argentina, por exemplo.

O Brasil, onde a certificação é concedida pelo Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), está ainda mais distante da Europa. A Itália protege 711 itens, incluindo o Prosecco. Entre os 689 selos da França, o mais famoso é o do Champagne.

Usar o termo para se referir a bebidas de outras partes do globo é pecado para qualquer sommelier.As cervejas alemãs estão na lista das 136 indicações geográficas do país. Alguns destes itens são reconhecidos, inclusive, pelo INPI.

Como no resto do mundo, no Brasil, a maior parte (85%) desses selos é de alimentos e bebidas. O Rio Grande do Sul é o estado mais avançado, com marcas de vinhos do Vale dos Vinhedos e doce de Pelotas.

A certificação pode ser de indicação de procedência e denominação de origem. Ambas exigem padrões de qualidade detalhados que dão fama ao item e retomo para quem o fabrica.

- Estas certificações transformam os produtos em patrimônio e trazem riquezas para a região - explica a coordenadora do programa de Propriedade Intelectual da CNI, Diana Jungmann.

* Matéria assinada por Gabriela Valente e publicada em 30/06/2013