Boa Prática

10/11/2015

Início > ESTRATÉGIA DE NEGOCIAÇÃO COLETIVA COM 7 SINDICATOS E DE NEGOCIAÇÃO INDIVIDUAL

ESTRATÉGIA DE NEGOCIAÇÃO COLETIVA COM 7 SINDICATOS E DE NEGOCIAÇÃO INDIVIDUAL

Sindicato: Sindicato Nacional da Indústria de Trefilação e Laminação de Metais Ferrosos (Sicetel/SP)

Presidente do sindicato: Daniele Pestelli

Mandato: 9/2015 a 9/2019

Federação: FIESP

Início de execução da prática: 1/2000
Fim de execução da prática: Até hoje

Raio-X da prática

Em negociações coletivas de trabalho, o Sicetel/SP tem adotado duas diretrizes estratégias de atuação. A primeira delas refere-se à integração com seis outros sindicatos afins – Siamfesp, Siescomet/SP, Simefre/SP, Sinafer/SP, Sindicel/SP, e Sindratar/SP – denominado Grupo XIX.III que, de forma articulada, intervém nos processos de mediação das convenções coletivas com os sindicatos laborais. No conjunto, as indústrias representadas pelos sete sindicatos patronais, empregam mais de 120 mil trabalhadores no país.
A segunda modalidade de negociação coletiva, empreendida pelo Sicetel/SP, refere-se ao tratamento individual de demandas específicas das 75 indústrias associadas que compõem o quadro social da entidade.


Como surgiu a ideia

A proposta de negociação coletiva, por meio da ação articulada entre sete sindicatos, surgiu após extinção do Grupo 19 da FIESP em 1992. A partir de então, sob a coordenação do Sicetel/SP, as negociações com os representantes laborais passaram a ser conduzidas pelo conglomerado constituído pelos sete sindicatos patronais.
Já o tratamento individual dado às negociações coletivas, surgiu de demandas de indústrias associadas ao Sicitel/SP em questões específicas, por exemplo, concernentes à redução da jornada de trabalho e a compensações decorrentes da supressão ou ajuste de algum benefício trabalhista.


Como fazer acontecer

Tanto em relação às negociações coletivas conduzidas pelo Grupo XIX.III quanto no tratamento a demandas individuais dos associados, o Sicetel/SP se respalda em dados e informações gerados pelo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da FIESP (Depecon), que norteiam a melhor abordagem a ser adotada nos processos de mediação trabalhista, de modo a minimizar as chances de incidência de conflitos.
Nas negociações coletivas com o grupo XIX.III, é composta Comissão Negociadora formada por um representantes de cada um dos sindicatos que o integram, em geral, diretores ou gerentes executivos, que acumularam grande experiência na condução das tratativas com sindicatos laborais.


Principais resultados

O índice de sucesso em negociações coletivas, que recebem tratamento individual pelo Sicetel/SP, supera os 90% e reitera a assertividade do sindicato na condução dos processos, motivo pela qual muitas indústrias são atraídas para filiação à entidade por conta desse desempenho.
Igual situação se repete nas negociações coletivas feitas pelo Grupo XIX.III que não registram dissídios coletivos de trabalho há 15 anos.


Termômetro da boa prática

Complexidade: alta
Investimento: baixo
Retorno institucional: alto
Contribuição para a competitividade: alta


Resultado

A atuação preventiva do Sicitel/SP, em negociações coletivas, tem levado ao alcance de altos índices de sucesso na relação estabelecida entre capital e trabalho. Parte desse desempenho pode ser atribuída à meticulosa preparação técnica de seus interlocutores e à busca de dados e informações econômicas que respaldem os processos de discussão com os sindicatos laborais.


Saiba mais

Se você tem interesse em obter mais informações sobre a boa prática, entre em contato com o sindicato ou com a FIESP.

Sindicato Nacional da Indústria de Trefilação e Laminação de Metais Ferrosos (Sicetel/SP)/SP: sicetel@uol.com.br

FIESP: centraldeservicos@fiesp.com.br