Boa Prática

20/11/2017

Início > CRIAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DA CADEIA PRODUTIVA DA INDÚSTRIA QUÍMICA E DO PLÁSTICO

CRIAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DA CADEIA PRODUTIVA DA INDÚSTRIA QUÍMICA E DO PLÁSTICO

Sindicato: Sindicato das Indústrias do Plástico e Tinta de (SINPLAST/AL)

Presidente do sindicato: Gilvan Severiano Leite

Mandato: 12/2014 a 12/2018

Federação: FIEA

Início de execução da prática: 10/2010
Fim de execução da prática: Até hoje

Raio-X da prática

Promoção de consultorias, capacitações técnicas em termoplásticos e em gestão para melhorar formação de colaboradores e aumentar produtividade das empresas da Cadeia Produtiva da Indústria Química e do Plástico. Iniciativa contribui para desenvolvimento sustentável do setor e aumento da competitividade no país e no exterior.


Como surgiu a ideia

A Cadeia Produtiva da Indústria Química e do Plástico foi constituída em Alagoas, em 2006, por meio da união do Sistema Federação das Indústrias do Estado de Alagoas (FIEA), SENAI, Braskem, Universidade Federal de Alagoas (UFAL), SINPLAST/AL, Associação dos Dirigentes das Empresas do Distrito Industrial (ADEDI) e Associação das Empresas do Distrito Industrial de Marechal Deodoro (ASSEDI/MD).


Como fazer acontecer

A partir do apoio às empresas do setor, no segmento de matérias-primas, mão de obra e tecnologias, por meio de convênios com IFET/AL, SENAI, UFAL e SEBRAE, financiamentos (BNB e BNDES) e incentivos fiscais, creditícios e de locação (Governo de Alagoas) e redução de 75% do imposto de renda (Governo Federal)  30 novas indústrias foram abertas no estado. O ambiente diversificado trouxe investimento de R$ 1,250 bilhão direcionados ao crescimento industrial. Além disso, R$ 10 milhões foram usados para requalificação de mão de obra, programas de qualidade e a implantação do Núcleo de Tecnologia do Plástico (NTPlás/SENAI) que, desde 2010, capacitou 991 trabalhadores. O NTPlás tem capacidade para formar até 400 profissionais ao ano. Outros 573 profissionais foram capacitados em cursos técnicos e de gestão.

Um convênio entre a Secretaria de Estado do Planejamento e do Desenvolvimento Econômico (SEPLANDE), SEBRAE, BRASKEM e SINPLAST/AL, criado para o triênio 2013-2015, também auxiliou no desenvolvimento da cadeia. O objetivo é implantar ações de melhoria e da qualidade na pequena indústria do setor e atingir 40 empreendimentos.

A Cadeia Produtiva da Indústria Química e do Plástico é constituída por mais de 67 empresas.


Principais resultados

A ação fortaleceu a cultura associativista e a Cadeia Produtiva da Indústria Química e do Plástico passou a contribuir com a sistematização e a difusão do conhecimento, assim como a qualificação de mão de obra.

Doze novas indústrias associadas fizeram investimentos de R$ 245 milhões no estado e geraram 756 empregos diretos.

Além disso, muitas indústrias investiram em mudanças no processo produtivo, como sistemas informatizados, contratação de pessoal qualificado, aquisição de máquinas e reforma nas instalações físicas.

 


Termômetro da boa prática

Complexidade: Alta

Investimento: Alto

Retorno institucional: Alto

Contribuição para a competitividade: Alta

 


Saiba mais

Se você tem interesse em obter mais informações sobre a boa prática, entre em contato com o sindicato ou com a FIEA.

Sindicato das Indústrias do Plástico e Tinta de (SINPLAST/AL)/AL: unidadesindical@fiea.org.br

FIEA: unidadesindical@fiea.org.br