Boa Prática

20/11/2017

Início > BANCO DE ARTICULAÇÃO EM VESTUÁRIO

BANCO DE ARTICULAÇÃO EM VESTUÁRIO

Sindicato: Sindicato da Indústria do Vestuário de Salvador e Região (SINDVEST/BA)

Presidente do sindicato: Waldomiro Vidal de Araújo Filho

Mandato: 11/2016 a 11/2021

Federação: FIEB

Início de execução da prática: 12/2015
Fim de execução da prática: Até hoje

Raio-X da prática

O Banco de Articulação em Vestuário consiste na doação, pelas empresas associadas ao Sindicato da Indústria do Vestuário de Salvador e Região (SINDVEST/BA), do excedente da produção, como tecidos e materiais reutilizáveis ou que possam ser reciclados, a projetos assistenciais e entidades filantrópicas que desenvolvam trabalhos voltados para corte e costura ou artesanato. A doação da matéria-prima tem objetivo de fornecer material para utilização em oficinas educativas e, ao mesmo tempo, promover a geração de renda para as entidades beneficiadas. O Banco de Articulação em Vestuário é o projeto pioneiro do Banco de Articulações Sociais, mantido pelo Conselho de Responsabilidade Empresarial (CORES) da FIEB.


Como surgiu a ideia

A boa prática foi concebida com o objetivo de incentivar uma atuação socialmente responsável do setor produtivo baiano e foi inspirada na experiência do Banco de Alimentos da Gerdau, empresa do setor siderúrgico do Rio Grande do Sul, após visita técnica de integrantes do SINDVEST/BA e do Conselho de Responsabilidade Social (CORES) da FIEB.


Como fazer acontecer

O trabalho não exigiu aporte de recursos do SINDVEST/BA, que se dedicou a sensibilizar e incentivar a adesão e o envolvimento das empresas ao projeto.

A implantação do Banco de Articulação em Vestuário exigiu a divulgação, mobilização e conscientização dos associados para a importância e resultados positivos da iniciativa para a sociedade e o meio ambiente.


Principais resultados

O Banco de Articulação em Vestuário fortalece a imagem institucional do SINDVEST/BA e das empresas associadas por meio de uma atuação socialmente responsável. A boa prática contribui para a preservação do meio ambiente, ao incentivar o reaproveitamento de materiais e eliminar o descarte de resíduos sólidos, como aparas de tecidos, cuja decomposição gira em torno de 20 anos em contato direto com o solo. A ação estimula a produção sustentável, valorizando o descarte dos resíduos, transformando-os em motor de incentivo para ações sociais que geram renda, capacitação e fortalecimento da cidadania.


Termômetro da boa prática

Complexidade: Baixa

Investimento: Baixo

Retorno institucional: Alto

Contribuição para a competitividade: Baixa


Saiba mais

Se você tem interesse em obter mais informações sobre a boa prática, entre em contato com o sindicato ou com a FIEB.

Sindicato da Indústria do Vestuário de Salvador e Região (SINDVEST/BA)/BA: grs@fieb.org.br

FIEB: grs@fieb.org.br