Boa Prática

19/10/2018

Início > Grupo de Estudos Trabalhista Sindical GETS-G12

Grupo de Estudos Trabalhista Sindical GETS-G12

Sindicato: SINDDOCES

Presidente do sindicato: HUGO GONÇALVES DE SOUZA

Mandato: 1/2016 a 12/2020

Federação: FIEPE

Início de execução da prática: 1/2017
Fim de execução da prática: 2020

Raio-X da prática

Diante da atual situação social e trabalhista e as posições e alterações em que as empresas, bem como os sindicatos estão sendo submetidos, vem gerando uma necessidade de reposicionamento na gestão de Recursos Humanos das indústrias, bem como dos sindicatos. Diante deste quadro, o Sinddoces e as indústrias mais susceptíveis a alteração das relações trabalhistas (comumente as que possuem maior número de empregados), que se encontram associadas ou não ao nosso Sindicato, diante da importância do tema e sentindo a necessidade de melhorias e aprofundamento do assunto, foi criado um grupo de estudo específico ao setor alimentício abrangido pelos CNAES vinculados ao Sinddoces, objetivando: analisar e criar procedimentos preventivos a eventuais alterações trabalhistas e sindicais que venham a ser criadas e que afetem o setor em geral, definir estratégias para manutenção e melhoria das condições presentes, fortalecendo as bases e estabelecendo normativas de proteção ao setor, ampliar e fortalecer o relacionamento com o quadro laboral através de análise antecipada às necessidades mediante procedimentos preventivos e objetivos, bem como estabelecer melhorias contínuas com foco na operacionalização das questões trabalhistas e visão associativista.


Como surgiu a ideia

Diante da recente reforma trabalhista e a consequente extinção da obrigatoriedade do recolhimento da Contribuição Sindical, as entidades sindicais passaram a enfrentar restrições orçamentárias, obrigando-as a redefinir seu papel e reestruturar ações com foco na capitalização de novas receitas. Por outro lado, a reforma trabalhista fortaleceu a sustentabilidade de determinadas ações sindicais, gerando a necessidade de maior interação entre a indústria e a área sindical, oportunizando a criação de projetos visando suprir essas necessidades. Diante destas alterações e das novas necessidades industriais, criamos um Grupo de Estudo Trabalhista Sindical objetivando não somente o atendimento a essas necessidade, bem como melhoria do relacionamento com o setor Laboral, maior interação com as indústrias associadas e não associadas e elevação da credibilidade e respeito às nossas atividades.


Como fazer acontecer

Inicialmente, o sindicato através da sua diretoria técnica, elaborou um estudo com base nos três últimos anos, segmentando os grupos de indústria pagantes e não pagantes da Contribuição Sindical naquele período, classificando também as Optantes e Não Optantes pelo "SIMPLES". Posteriormente, classificou as empresas que fidelizaram esse pagamento no período analisado, em seguida, se efetuou o comparativo das empresas com maior valor de contribuição, observando-se que esse número de empresas correspondia em torno de 15% do quantitativo total de empresas pagantes e 91% do valor total arrecadado, se observou ainda, que estas empresas correspondiam as empresas de maior porte, consequentemente um maior número de funcionários, enquadrando-se dessa forma, dentro dos parâmetros de nosso grupo de estudo. Esta observação facilitou a classificação para elaboração do Grupo de Estudo, uma vez que nosso objetivo era o de fomentar o grupo com empresas mais susceptíveis as alterações trabalhistas, bem como estreitar o relacionamento com esse grupo de empresas fidelizadas e pagantes da Contribuição Sindical. Com este objetivo, o Sindicato visualizou o estreitamento junto ao Sindicato Laboral na busca de soluções rápidas ao atendimento às necessidades das empresas, gerando com isso, credibilidade, respeito, confiança e apoio à manutenção das contribuições sindicais, tanto para estas empresas como para as demais componentes do sindicato.


Principais resultados

Mediante a formação deste Grupo de Estudo e da permanente interação com as empresas participantes e demais empresas, facilitou ao Sindicato a comunicação e explicação de suas necessidades e entendimento, gerando credibilidade em suas ações, fazendo com que as empresas espontaneamente entendessem a necessidade de continuidade da estrutura sindical. Como resultado, se obteve um acordo coletivo pacífico no ano anterior, resoluções facilitadas dos conflitos trabalhistas, bem como um recolhimento superior a 90% da Contribuição Sindical pretendida.


Saiba mais

Se você tem interesse em obter mais informações sobre a boa prática, entre em contato com o sindicato ou com a FIEPE.

SINDDOCES/PE: sinddoceshm@gmail.com

FIEPE: apoioprojetos@fiepe.org.br