Boa Prática

13/7/2018

Início > CRIAÇÃO DE UM NOVO POLO ECONÔMICO

CRIAÇÃO DE UM NOVO POLO ECONÔMICO

Sindicato: Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico de Blumenau

Presidente do sindicato: Dieter Claus Pfuetzenreiter

Mandato: 1/2017 a 12/2020

Federação: FIESC

Início de execução da prática: 1/2016
Fim de execução da prática: Até o presente

Raio-X da prática

Em 2016 o Sindicato iniciou a construção de um novo polo econômico voltado para empresas eletro-metal-mecânicas com perfil de atuação no setor alimentício, visando a fabricação de máquinas, equipamentos e soluções voltados para o Mercado Cervejeiro. Em 2017 parcerias foram construídas com a FIESC, CNI, SEBRAE e Escola Superior de Cerveja e Malte a primeira escola especializada da América Latina. A construção deste novo polo evidenciou o Sindicato na mídia e resultou na Associação de dezenas de novas empresas ao mesmo.


Como surgiu a ideia

Com a crise que assolou o Brasil e consequentemente as empresas do setor Eletro-metal-mecânico associadas a este Sindicato, surgiu a demanda de oportunizar via Sindicato a estas empresas, novas opções de mercado e de negócios. Após uma análise mais criteriosa ficou evidenciado que o mercado cervejeiro cresce cerca de 20% ao ano no Brasil e que tem potencial para crescer por pelo menos mais 10 anos neste ritmo. Outros fatores nos levaram a investir neste segmento como: Blumenau recebeu em 2017 o selo de Capital Nacional da Cerveja, a região possui uma cultura voltada para a cerveja artesanal, tanto no consumo como na produção, a região possui várias cervejarias e a primeira escola superior do segmento da América Latina. Também é realizada em Blumenau uma das maiores feiras deste segmento do Brasil, no entanto não tínhamos empresas trabalhando ou investindo pesado neste segmento . Foi levantado ainda informações junto a Prefeitura municipal e empresas cervejeiras que evidenciaram a falta da fabricação de máquinas, equipamentos e soluções para este mercado junto as empresas de Blumenau, Pomerode e Gaspar. A partir desta demanda levantada, o Sindicato iniciou um trabalho com o intuito de desenvolver este novo polo econômico na região. Para a execução deste projeto foram realizadas inúmeras parcerias onde destacamos: Escola Superior de Cerveja e Malte, SENAI, Prefeitura Municipal de Blumenau, SEBRAE, FIESC e CNI.


Como fazer acontecer

O Primeiro passo foi a criação de um Grupo de Trabalho com empresas com potencial para a fabricação de máquinas, equipamentos e soluções para este setor. Nele foram apresentadas as oportunidades de negócios, o potencial deste setor e das empresas em atender o mesmo. Na sequência iniciou-se uma parceria com a Escola Superior de Cerveja e Malte, onde foram levantados dados econômicos do setor cervejeiro, principais maquinas, equipamentos e soluções utilizadas pela indústria cervejeira, entre outros. O terceiro passo foi a elaboração e apresentar do projeto para a FIESC, que remeteu o mesmo a CNI e ao SEBRAE, onde foram captados recursos via Projeto Inovador, para capacitar os empresários. Com as parcerias instituídas foi elaborado um programa de trabalho que ficou denominado de: Programa de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva Eletrometalmecânica para o polo cervejeiro de Blumenau e região. Através do Programa, 30 empresas participaram de uma capacitação de mais de 40 horas na Escola Superior de Cerveja e Malte com o foco na produção de máquinas, equipamentos e soluções. 10 horas de consultoria individual executada na própria empresa, participação na Feira Internacional de Cerveja realizada em SP, elaboração de um caderno de oportunidades, elaboração de materiais de divulgação das empresas associadas ao Sindicato com sua produção voltada para este segmento, lançamento d e um site voltado para este seguimento e realização de uma Rodada de Negócios que contou com a presença de mais de 40 empresas, entre as associadas e cervejarias de toda a região. Em março de 2018 um total de 14 empresas em uma área superior a 140m² participaram da Feira Brasileira da Cerveja realizada em Blumenau. No ano de 2017 não tivemos a participação de nenhuma empresa associada nesta feira. Foram investidos no programa cerca de R$ 80.000,00, levantados através das parcerias. Cada empresa participante do programa investiu simbólicos R$400,00 ao longo do ano de 2017, para participar do programa e de uma série de atividades desenvolvidas. O Sindicato captou dezenas de novas empresas, aumentando sua receita com mensalidades e ficou evidenciado na mídia local. Os recursos próprios investidos neste programa foram de aproximadamente R$ 2.000,00, valor este arrecadado junto as empresas participantes do mesmo. Ocorreu ao longo do Programa a participação e envolvimento direto do Executivo e do presidente da entidade Sindical. Sem dúvidas o segredo do sucesso da prática está relacionada a identificação correta das demandas existentes, a construção de parcerias sólidas e seriedade na condução do programa. Ainda para 2018 será lançado um grande evento que deve envolver a Escola Superior de Cerveja e Malte, as empresas associadas que estão produzindo máquinas, equipamentos e soluções para este setor e cervejeiros caseiros de todo o estado. O objetivo é atingir um novo público consumidor e fomentar novos negócios para as empresas associadas.


Principais resultados

Geração de receitas: Foram captados através das parcerias e das empresas associadas cerca de R$ 92.000,00 dos quais cerca de R$ 10.000,00 ficaram no caixa do Sindicato para promover eventos futuros. O Sindicato participou de diversos programas em rádios locais e concedeu inúmeras entrevistas para emissoras de tv, jornais e blogs. A força do associativismo ficou evidenciada na criação de um novo pólo econômico onde as empresas se percebem muito mais como parceiras do que concorrentes. Um novo ciclo da cadeia produtiva local foi fechado e empresas estão produzindo e vendendo máquinas, equipamentos e soluções para o mercado cervejeiro. Isso proporcionou a muitas empresas um incremento nas receitas, geração de novas oportunidades de negócios e de novos postos de trabalho. A participação na Feira Brasileira da Cerveja, gerou uma expectativa superior a um milhão de reais em negócios. A geração de novos eventos voltados para este segmento, continuam atraindo empresas para se associarem ao Sindicato e gerando novas oportunidades de sustentabilidade para o sindicato. Em média as empresas que participaram deste programa tiveram para cada R$1,00 real investido nas mensalidades junto ao Sindicato, o retorno com subsídio nas capacitações e participação nas feiras de R$ 8,00. Provando mais uma vez que a associação junto ao Sindicato é um excelente investimento e de grande retorno econômico para as empresas.


Saiba mais

Se você tem interesse em obter mais informações sobre a boa prática, entre em contato com o sindicato ou com a FIESC.

Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e do Material Elétrico de Blumenau/SC: simmmeb@simmmeb.com.br

FIESC: dea.atendimento@fiesc.com.br