Lançado em março de 2018, o Mapa Estratégico da Indústria 2018-2022 é o terceiro documento elaborado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) com o objetivo de apontar o caminho para a indústria e o Brasil aumentarem sua competitividade.

A versão 2018-2022 é uma atualização do Mapa da Indústria 2013-2022, segundo Mapa criado pela CNI e divulgado em maio de 2013. A primeira versão contemplava os anos de 2007-2015, apresentado em abril de 2005.

 

2013-2022

 

20130927152120322966i-1.jpg

 


O Mapa Estratégico da Indústria 2013-2022 foi o resultado de debates e contribuições de 520 pessoas, entre empresários, executivos, acadêmicos e presidentes de associações nacionais setoriais e de federações de indústrias.

O documento identificou dez fatores chave para a competitividade brasileira: Educação, Eficiência do estado, Ambiente macroeconômico, Segurança jurídica, Desenvolvimento de mercados, Financiamento, Relações de trabalho, Infraestrutura, Tributação, Inovação e produtividade.

Para cada fator, o Mapa apontou uma macrometa, principal resultado a ser alcançado, e seu indicador, para mostrar a evolução do país rumo ao aumento da competitividade. Os fatores-chave também foram divididos em temas prioritários e objetivos.

O Mapa Estratégico da Indústria 2013-2022 também propôs ações transformadoras, capazes de fazer com que o país alcance os objetivos traçados.

 

2007-2015 

 

1-mapa-estrategico-da-industria_2007-2015_parte_1-1.jpg



O Mapa Estratégico da Indústria 2007-2015 definiu estratégias e bases necessárias para o desenvolvimento de uma indústria forte, dinâmica e com participação expressiva no comércio mundial.

O documento apontou metas, indicadores e programas para consolidar o Brasil como uma economia competitiva, inovadora e inserida na sociedade do conhecimento. Os objetivos abrangiam áreas como economia, infraestrutura, inovação, educação e qualidade de vida.

O Mapa da Indústria 2007-2015 foi resultado de um trabalho de seis meses do Fórum Nacional da Indústria, que mobilizou cerca de 300 representantes empresariais de 60 entidades.

A publicação foi elaborada com base no modelo de gestão Balanced Scorecard, da Harvard University, nos Estados Unidos, de modo a permitir o acompanhamento dos indicadores e metas traçados.