CAPÍTULO 2

A diferença que a gestão e a eficiência fazem para o Brasil crescer


 

Reportagem publicada em 13/03/2018



Como ocorre com tantos outros órgãos do poder público, a Procuradoria Regional do Trabalho da 9ª Região, em Curitiba, enfrenta os efeitos da crise fiscal. Com uma redução superior a 60% em seu orçamento anual nos últimos três anos e a necessidade de manter o padrão de funcionamento, os gestores encontraram na governança e na gestão uma saída para os novos desafios.

Em 2016, o órgão aprimorou a programação de suas despesas e construiu, com a cooperação dos servidores, uma lista de prioridades a serem atendidas à medida que houver o repasse de recursos. “Havia uma certa ineficiência na execução do orçamento”, recorda Francisco Gonzalez, diretor Operacional da Procuradoria.

Com a melhora dos processos, começaram a surgir resultados positivos. Por exemplo, as dez unidades da Procuradoria do Paraná, cada uma, realizava a sua própria licitação para a compra de água mineral. A partir de uma análise de custo-benefício, tomou-se a decisão de comprar bebedouros para todos os escritórios.