Logo2c.png

Eventos

Gestão de rico climático: fator-chave para a gestão, investimentos e continuidade dos negócios

CNI_Bioeconomia_GestãodeRiscoClimático_Live1911_card01_v1 (1).png

A Confederação Nacional da Indústria realiza, em 19 de novembro, às 15h, a live Gestão de risco climático: fator-chave para a gestão, investimentos e continuidade dos negócios, em que serão lançados dois guias para apoiar os empresários a se adaptarem à nova ordem econômica criada pelas mudanças globais do clima.

As mudanças climáticas trazem impactos diretos na competitividade empresarial. O Banco Mundial estima que essa nova ordem econômica, causada principalmente por eventos climáticos extremos, tragam prejuízos anuais da ordem de US$ 77,6 bilhões a US$ 89,6 bilhões até 2050. No Brasil, estimativas da Universidade Federal de Santa Catarina indicaram prejuízos de R$ 4,2 bilhões na indústria nos últimos 20 anos.

O primeiro guia a ser lançado, “Financiamento para o clima – guia para otimização do acesso pela indústria”, vai apresentar soluções para acesso a recursos financeiros voltados para a economia de baixo carbono no Brasil e do mundo, aplicáveis às atividades industriais, bem como os principais critérios econômicos, ambientais, sociais e de governança (ESG), que devem ser seguidos para acessar os fundos de investimento.

O segundo guia, "Indústria Resiliente - um guia para a indústria se adaptar aos impactos da mudança do clima - diretrizes gerais", tem o objetivo de mostrar às empresas como elaborar seus próprios planos de adaptação aos impactos da mudança do clima, promovendo uma cultura de prevenção ao risco climático. Ações como esta são cruciais para acessar os recursos financeiros com melhores taxas de juros, por meio da adoção de práticas prevencionistas, passando ao investidor uma visão alinhada a adoção dos critérios ESG.

A live terá mediação do gerente-executivo de Meio Ambiente e Sustentabilidade da CNI, Davi Bomtempo, e a participação de:

  • José Lourival Magri, presidente da Câmara de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc)
     
  • Mateus Salomé, subsecretário de Sustentabilidade do Ministério da Infraestrutura
     
  • Nabil Kadri, chefe do Departamento de Meio Ambiente e Fundo Amazônia do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)
     
  • Sergio Margulis, especialista-sênior da Way Carbon
     


Assista à live:

youtube.png__26x18_q85_crop_subsampling-2_upscale.png

topo