Brazil 4 Business

Indústria extrativa

A- A A+

Na década passada, o crescimento da economia brasileira foi motivado essencialmente pela exportação de commodities, entre eles, os minerais. Houve rápida expansão até 2011, sendo o minério de ferro o principal mineral exportado em virtude do consumo atrelado à atividade da indústria siderúrgica, fornecendo insumos para a construção civil e produção automobilística.

Gráfico - Evolução das exportações minerais no Brasil U$ Bi (Valor FOB)

de Ferro no minério Brasileiro, de acordo com U.S. Geological Survey e a Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), é superior ao Chinês. Por isso, mesmo com produção inferior, o potencial siderúrgico é maior. Ainda que a produção Chinesa esteja crescendo, as exportações mantêm potencial. As principais reservas estão em Minas Gerais, Pará, Bahia e Mato Grosso do Sul.

 

O teor de Ferro no minério Brasileiro, de acordo com U.S. Geological Survey e a Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), é superior ao Chinês. Por isso, mesmo com produção inferior, o potencial siderúrgico é maior. Ainda que a produção Chinesa esteja crescendo, as exportações mantêm potencial. As principais reservas estão em Minas Gerais, Pará, Bahia e Mato Grosso do Sul.

Estima-se que 5% das reservas mundiais de Ouro estão em território Brasileiro. Nos últimos anos, o aumento do nível de renda da população estimulou o consumo do metal. Além disso, ampliou-se a utilização do mesmo em notebooks, tablets, celulares e outros eletrônicos que apresentam crescimento de vendas nos últimos anos. A produção aumenta em taxas próximas a 10% a.a., atingindo mais de 70T ao ano, mas ainda representa menos de 3% da quantidade mundial. As maiores reservas encontram-se no Pará, Minas Gerais, Mato Grosso e Goiás. Novo mercado e com ampla possibilidade, a reciclagem do ouro ainda encontra-se em fase preliminar, com apenas 10T recuperadas a ano.

O Brasil importa aproximadamente 40% do Cobre consumido. A demanda pelo material é crescente e sustentada pela construção civil, indústria automobilística, eletrodomésticos e produtos relacionados à energia. Com a retomada do crescimento, estima-se que a produção nacional será da ordem de 600 mil Toneladas, com teor de cobre inferior a 25%. Dado que o consumo anual é aproximadamente de 300 mil Toneladas, há necessidade de crescimento na produção e beneficiamento. As maiores reservas encontram-se no Pará e Goiás.

O Brasil detém 98% das reservas mundiais de Nióbio, e é responsável por 92% das exportações mundiais com 70 mil Toneladas ao ano. Acredita-se que o elemento é crítico para o desenvolvimento tecnológico mundial pois apresenta leveza e propriedades refratárias, sendo utilizado na produção de aços com fins especiais e superligas utilizadas em componentes de foguetes. As maiores reservas encontram-se em Minas Gerais, Amazonas e Goiás.

Saiba onde investir neste setor