Brazil 4 Business

Tocantins

O PIB de Tocantins é de aproximadamente R$ 25 bilhões e as receitas são provenientes de serviços (~60%) e indústria (~27%). Com território equivalente a Itália, está entre os 10 maiores estados em extensão, mas em termos populacionais é um dos 5 menores. Até 1988 era parte do estado de Goiás, quando foi emancipado, se tornando uma unidade da federação independente, o que confere ao estado o status de economia em construção, com pontos de concentração de renda

A capital é Palmas com 230 mil habitantes e a mesma possui PIB per capita equivalente às cidades do Sul e Sudeste. Desta forma, o mercado consumidor é exigente e demanda produtos de boa qualidade.

As principais razões que justificam os investimentos em Tocantins são:

  • Diversos incentivos fiscais visando o abastecimento de insumos para a indústria;
  • Economia em franco desenvolvimento na região metropolitana de Palmas;
  • Interesse do governo de desenvolver regiões mais remotas do estado;
  • Indústria com baixo nível de desenvolvimento, implicando em oportunidades em diversos setores

A seguir, tem-se setores da indústria que além dos fatores citados, possuem programas específicos de incentivos.

Artigos de Borracha e Plástico: Tocantins figura entre os maiores produtores de borracha natural do Brasil. Tendo em vista que o mercado deste bem em estado bruto é muito instável, o governo tem interesse particular na instalação de empresas capazes de processar o produto e agregar valor à cadeia.

Automobilístico: Por ter acesso a diversos estados do Norte, Nordeste e Sudeste, Tocantins confere boa posição para escoar a produção automotiva. Além disso, identifica-se boas possibilidades de atração de empresas fornecedoras de autopeças.

Alimentos e Bebidas: Além do mercado consumidor em franca expansão, a posição do estado, com acesso direto à produção agrícola do centro-oeste confere a chance de beneficiamento de grãos e outros. Por sua vez, a malha logística e os incentivos relacionados ao ICMS facilitam o escoamento do grande excedente.

Cimento: Diversas obras de infraestrutura acontecem na região atualmente e, atualmente, os insumos são importados de outras regiões. Existem obras previstas até 2022. Além disso, políticas habitacionais estão em evidência no estado.

Defensivos Agrícolas: Aproximadamente metade do território estadual é considerado como de terras férteis, além de possuir abundância hídrica, gerando altíssimo potencial agropecuário. Por consequência, a necessidade de defensivos agrícolas acompanha esta tendência e atualmente é abastecida por estados da região Sudeste. Estando muito próximo de regiões altamente produtivas na Bahia e Goiás, o mercado para este insumo amplia-se ainda mais.

Outros Produtos de Minerais Não-Metálicos: O estado apresenta boas reservas de minerais não-metálicos, especialmente usados na construção civil, como areia, argila, rochas britadas e cascalho, que já encontram-se em exploração.

Têxteis: O setor têxtil apresenta baixo desenvolvimento em toda região norte. Como isso, pela proximidade com estes estados, Tocantins possui diferenciais logísticos frente ao Sudeste, por exemplo.

O governo de Tocantins institui dois programas com políticas bem estabelecidas de incentivos:

  • PROINDÚSTRIA – programa que concede isenção de impostos (ICMS) às empresas já no estado em diversas operações como compra de matéria prima, vendas a órgãos públicos, compra de ativos para indústria e utilização de energia elétrica. Estes benefícios são aplicáveis aos projetos de implantação e expansão industrial;
  • PROSPERAR – programa com benefícios parecidos ao anterior, porém com foco maior na atração de novos investimentos ainda não presentes. Decorrentes disso, os percentuais de redução podem ser elevados.