Brazil 4 Business

Roraima

Localizado no ponto mais setentrional do Brasil, na Região Norte do Brasil, Roraima ocupa uma área aproximada de 224 mil km². Dividido pela linha do Equador e pontualmente situado entre dois países, Venezuela e Guiana, tem uma localização estratégica, com proximidade dos mercados do Caribe e das Américas Central e do Norte.

A dimensão territorial do  Estado é de 224.300,506 km², dos quais 46,37%  são formados por áreas indígenas. A população registrada pelo Censo de 2010 era de 450.479 habitantes, dos quais 70% se concentravam na capital Boa Vista, e os demais estavam divididos entre os 14 municípios do interior. Com Produto Interno Bruto – PIB de aproximadamente R$ 7 bilhões, possui o segundo maior PIB per capita da Região Norte.

O estado apresenta infraestrutura para receber projetos industriais, agroindústrias e de ecoturismo. As fontes de rendimentos da economia de Roraima estão diretamente ligadas às atividades nos setores de prestação de serviços (78,5%), indústria (10,5%) e agropecuária (4,8%). Outros somam 6,2%. A base produtiva do estado está na agricultura, pecuária, indústria e o extrativismo animal, vegetal e mineral.

O estado vem desenvolvendo ações para impulsionar o parque industrial, em crescente desenvolvimento, com espaço para empreendimentos em diferentes áreas de competitividade e inovação. As principais indústrias são de beneficiamento de cereais, produção de refrigerantes e água mineral, móveis, madeira, derivados do leite, comércio, serviços e construção civil.

Dentre as diversas razões para se investir em Roraima destacam-se:

  • Incentivos fiscais para a instalação de empresas na região;
  • Forte vocação turística, já que o estado é rico em cenários naturais;
  • Condições climáticas favoráveis ao agronegócio;
  • Localização estratégica para o mercado internacional;
  • Aprovação da instalação de Zona de Processamento de Exportação (ZPE) em Boa Vista. O terreno já está disponível;
  • Áreas de Livre Comércio (ALCs) em funcionamento na capital Boa Vista e no município de Bonfim, na fronteira com a Guiana, barateando a importação de insumos produtivos.



Infraestrutura
Localizado sob a influência do Corredor de Transporte Amazônico, compondo o planejado Eixo de integração Arco Norte (Roraima e Amapá) e o Eixo do Escudo Guianês, o estado possui acessos à Venezuela, Guiana e Suriname.

Nas ações relacionadas ao Escudo Guianês, o estado de Roraima está investindo para facilitar o escoamento de produtos na região. Junto com os governos brasileiro e guianense, possui projetos para asfaltar a rodovia internacional entre Boa Vista e Georgetown, capital da Guiana, com distância de aproximadamente 700 quilômetros, dos quais 225 já estão asfaltados. O projeto inclui ainda a construção de duas hidrelétricas na Guiana a serem interligadas com o Sistema Energético do Brasil e de um porto na cidade de New Amsterdam, cujo calado permite embarcações de grande porte e favorece o comércio exterior a partir do Oceano Atlântico.

Roraima possui 1.481 quilômetros de rodovias federais: BRs 174, 210, 401, 431, 432 e 433. A principal delas é a BR–174, que liga Manaus a Boa Vista, seguindo da capital roraimense até a fronteira com a Venezuela. São 254 quilômetros no Amazonas e 720 quilômetros em Roraima, totalizando 974 quilômetros de extensão totalmente asfaltados. A BR–401 liga Boa Vista ao Município de Bonfim, na fronteira com a Guiana. A BR–210, denominada Perimetral Norte, integra o Eixo de integração Arco Norte.


Mercado internacional
O estado tem vantagem comparativa de logística: a capital, Boa Vista, está a 220 quilômetros da divisa com a Venezuela, que possui uma população de 30 milhões de habitantes (estimativa FMI), distribuída em uma extensão de 912 mil km². Destaca-se como a 30ª economia mundial, e conta com o Brasil como um dos seus principais fornecedores (carne bovina, aves e suínos, ovos, frutas, madeiras, móveis, soja, arroz, café e açúcar).

Boa Vista está situada apenas a 120 quilômetros da fronteira com a Guiana, que possui uma população aproximada de 800 mil habitantes. O Brasil foi o 5º fornecedor de bens ao país, suprindo 3,3% da demanda interna guianense (2012).


DESCUBRA RORAIMA

Para apoiar e dar suporte aos investidores estrangeiros, o Centro Internacional de Negócios (CIN) disponibiliza aos empresários informações, serviços de consultoria, organização de feiras, eventos e missões internacionais. O CIN-FIER faz parte de uma rede liderada pela Confederação da Indústria (CNI) e interligada com dezenas de instituições internacionais de promoção de negócios e investimentos.

Confira, no menu à esquerda, diversas vantagens de investir em Roraima e entre em contato com a nossa equipe no estado.

As empresas industriais em Roraima estão divididas entre os três setores da economia, destacando os segmentos: alimentação, bebidas, agropecuária, fruticultura, turismo, artesanato, construção civil, limpeza urbana, confecções, madeiras, moveleiro, grãos, piscicultura, mineração, automotivo, joias e gráficas.


Turismo

O estado possui grande diversidade geográfica, entre platôs, savanas (o lavrado), florestas entrecortadas por rios caudalosos, o que leva a cenários exuberantes, possibilidade de expedições e de contato com diversas comunidades indígenas. Em virtude de suas belezas naturais e diversidades de ecossistemas, dispõe de farta viabilidade de incremento do turismo. Neste setor, existe em andamento a formulação da estratégia de expansão do ecoturismo receptivo (inter-regional e internacional), turismo de negócios e de expansão da infraestrutura e rede de serviços.


Piscicultura

A piscicultura de Roraima apresenta um grande potencial, favorecida pelos recursos hídricos, genéticos, climáticos, técnicos e com incentivos à produção. O estado já desponta entre os maiores produtores de Tambaqui do país.



Fruticultura

A fruticultura irrigada em área de savana tem motivado muitos produtores em Roraima devido às vastas áreas disponíveis, possibilidades de produção na entressafra dos demais estados brasileiros e excelente condição climática para produção de frutas de climas temperados, além das tropicais.

O mercado regional de frutas apresenta-se promissor e a produção abastece o mercado interno, atende ao estado do Amazonas e vislumbra os mercados vizinhos da Venezuela, República da Guiana e Caribe.


Agricultura

Roraima tem um grande potencial para o agronegócio, podendo assumir um papel estratégico de produtor e de fornecedor de sementes certificadas de soja, milho, arroz, sorgo e outros grãos, seja pelo elevado índice de produtividade por hectare quanto pela capacidade de colheitas no período da entre safra brasileira.

A inversão do período de safra, em relação aos estados das regiões Sul, Sudeste e Centro Oeste, é uma grande vantagem que Roraima tem por localizar-se no Hemisfério Norte. A sua localização estratégica, facilita a logística de exportação para países vizinhos, como a Venezuela, República da Guiana e países do Caricom.


Construção Civil

A construção civil destaca-se como um dos setores da economia que mais contribuem para o desenvolvimento do estado. O setor respondeu por 50% do PIB Industrial de Roraima (2011). Grandes projetos por parte do setor público asseguram a continuidade de crescimento deste setor da economia.

A iniciativa privada também desenvolve papel fundamental, assegurada por um mercado em plena expansão, e justificada pela elevada demanda por edificações residenciais e comerciais no Estado. Dois shopping centers estão sendo construídos e devem ser inaugurados entre outubro e dezembro de 2014. O crescimento da construção civil em Roraima tem gerado externalidades positivas de outros segmentos da economia.


Moveleiro

É um setor que possui um enorme potencial de mercado, além da possibilidade de mudar a sua pauta exportadora de matérias-primas para produtos acabados e com agregação de valor, assim melhorar a competitividade.


Mineração

Roraima é rico em recursos minerais, o estado possui as áreas de maior potencial mineral em suas regiões Oeste, Norte/Nordeste e Sudoeste.  As ocorrências são principalmente de ouro, diamante, cassiterita, nióbio, tântalo, molibdênio, titânio, além de indícios de minerais radioativos, petróleo e gás, encontrados com grande incidência na formação geológica do estado.

Atualmente, a indústria da mineração beneficia-se pela redução do PIS/Cofins para a compra de insumos e máquinas destinadas a obras de infraestrutura; ampliação do crédito; e queda da taxa de juros de longo prazo do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES); diminuição do imposto de importação de 14% para 2% sobre máquinas, sem similar nacional — iniciativas que barateiam o crédito para a essa atividade.


Pecuária

A pecuária é uma atividade econômica tradicional em Roraima. Ocupa uma extensão de aproximadamente 44.000 km² da superfície do Estado. As áreas de pastos formados ocorrem principalmente nos municípios do Sul do Estado. As raças predominantes nos rebanhos bovinos são: Nelore, Gir e Guzerá, por serem mais resistentes a adaptados para produção de carne. Na produção de leite, a raça utilizada é a Girolanda (misto de Gir com Holandês).

Roraima contará a partir do terceiro trimestre de 2014 com abatedouro/frigorífico moderno, seguindo todos os requisitos tecnológicos e sanitários de beneficiamento da carne exigidos pelos mercados Americano, Europeu e Asiático. Batizado de Frigo10, referência à união de 10 empresários para construir e administrar o primeiro frigorifico privado de Roraima, terá capacidade de abater 500 animais por dia.

Incentivos Estaduais

O estado de Roraima incentiva e beneficia seus investidores de diversas formas, dentre elas, investindo em infraestrutura, em qualificação da mão de obra, em centros de tecnologia e inovação, concedendo incentivos fiscais, com o intuito de tornar a região mais atrativa para os investidores.

Benefícios do Fundo de Desenvolvimento Industrial – FDI

  • Empréstimos de até 75% do ICMS efetivamente recolhido;
  • Aval de 30% do projeto apresentado;
  • Subscrição de ações e debêntures ou cotas de capital em até 25% do empreendimento;
  • Financiamento de capital de giro até o limite e 50% do valor do projeto;
  • Subsídio de até 70% nas tarifas de água e esgoto;
  • Doação de lotes para a implantação de empresas no Distrito Industrial;
  • Concessão, em regime de comodato, de infraestrutura de armazenagem e de produção;
  • Tarifas diferenciadas de energia elétrica.


Bancos com linhas de financiamentos atrativas

  • Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)
  • Banco da Amazônia
  • Banco do Brasil
  • Caixa Econômica Federal