Área Internacional da CNI

Governança do comércio exterior brasileiro

Apesar de o Brasil ser a oitava maior economia do mundo, o país é apenas o 26º maior exportador e o 29º maior importador. Além disso, o Brasil tem participação inferior a 2% no comércio internacional e o seu acesso livre de barreiras comerciais é de apenas 8% do fluxo mundial de bens. Essa situação é, em grande medida, resultado da baixa prioridade conferida ao comércio exterior entre as políticas públicas do governo brasileiro.

Parte do esforço para reverter esse quadro requer a reorganização da governança da política comercial, isto é, a forma pela qual o governo brasileiro gere a política comercial.

Prioridades para 2019

Estratégia Nacional de Comércio Exterior

Prancheta 122.png


Defender a elaboração e adoção, pelo governo brasileiro, em consulta com o setor privado, de uma Estratégia Nacional de Comércio Exterior para o período 2019-2022, com objetivos claros e metas mensuráveis, incluindo todos os temas da política comercial brasileira

Adidos de Indústria e Comércio

adidos2.png

 


Defender a criação da função do Adido de Indústria e Comércio para atuação em mercados estratégicos para a indústria; e realizar pesquisa com o setor privado para identificar suas necessidades e qualificar as funções do Adido de Indústria e Comércio.

Institucionalidade do sistema público de financiamento e garantias às exportações

Prancheta 22.png


Defender a criação de subsidiária do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que concentre todas as atividades de financiamento às exportações; defender a reformulação da governança do Programa de Financiamento às Exportações (Proex), transferindo-o para a referida subsidiária do BNDES e conferindo-lhe autonomia para aprovação das operações; e defender a concentração de todas as atividades de seguro de crédito na Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias (ABGF).

Aperfeiçoamento da Camex

Prancheta 132.png


Elaborar, apresentar e defender propostas para o aperfeiçoamento da Câmara de Comércio Exterior (Camex), incluindo a criação do Grupo de Trabalho de Barreiras, a realização de reuniões trimestrais do Comitê Nacional de Facilitação de Comércio (Confac), a inclusão de representação do setor privado no Comitê Nacional de Investimentos (Coninv) e a ativação do Comitê Nacional de Promoção Comercial (Copcom).

Escritórios regionais governamentais de apoio à indústria

Prancheta 152.png

 


Apoiar a implantação de escritórios regionais governamentais de apoio à indústria nos estados brasileiros, em parceria com as federações das indústrias.

Institucionalidade do sistema de defesa comercial

Ícone com escudo


Defender a importância, para o setor privado, da manutenção e do fortalecimento do sistema de defesa comercial do Brasil, mantendo-se o modelo institucional vigente, com as análises de dumping, subsídios, surtos de importação, dano e nexo causal sob jurisdição do Departamento de Defesa Comercial (Decom).

topo