Assuntos Legislativos

Agenda Legislativa da Indústria

NOTÍCIAS

25 de Março de 2014 às 20:30

Agenda Legislativa 2014: Federações levantaram prioridades entre as indústrias nos estados

Presidentes das instituições defendem que Congresso não perca o ritmo em ano eleitoral

selo agendaRepresentantes do setor nos estados e no Distrito Federal, as Federações das Indústrias ajudaram a construir a Agenda Legislativa da Indústria 2014. De um universo de 630 projetos, elas foram decisivas para a definição das 134 proposições prioritárias pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Para os presidentes das instituições, a Agenda é um importante instrumento de diálogo com o Congresso Nacional, o governo federal e a sociedade civil. Eles defendem que os parlamentares avancem nas votações dos projetos que podem elevar a competitividade do setor, mesmo 2014 sendo um ano eleitoral. O Portal da Indústria ouviu cinco presidentes de federações de cada uma das regiões brasileiras.

Espírito SantoAcompanhamento do trabalho legislativo
"Por meio da Agenda podemos acompanhar os projetos que incentivam o desenvolvimento do país. Ela serve, ainda, de parâmetro para as federações acompanharem de perto as ações dos parlamentares de seus estados. Assim o Congresso Nacional conhece como pensa quem investe no país".

Marcos Guerra, presidente da Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo (FINDES).

 
Rio Grande do NorteConstrução da agenda
"Todas as federações trouxeram as demandas das empresas em seus estados para ajudar a construir a Agenda. Escutamos as indústrias, os presidentes dos sindicatos e os diretores da federação para que pudéssemos levantar os projetos prioritários no estado e repassar para a CNI".

Amaro Sales de Araújo, presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (FIERN).

 
ParanáIndústria unida
"O que nos preocupa são os projetos que afetam a competitividade da indústria. A gente tem que pensar no contexto da confederação. As questões de ordem regional têm que ser tratadas em outro âmbito. Precisamos lutar pelas reformas que afetam a competitividade de todo o país, precisamos reduzir o custo Brasil".

Edson Luiz Campagnolo, presidente da Federação das Indústrias do Paraná (FIEP).

 
GoiásVotação em ano eleitoral
"Esperamos que haja uma mudança de mentalidade do Congresso Nacional e que eles votem projetos que são prioritários para o desenvolvimento do setor e do país, mesmo sendo ano eleitoral, como a regulamentação da terceirização, por exemplo".

Pedro Alves de Oliveira, presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (FIEG).

 
AmazonasAlgumas das prioridades
"Para o Amazonas a prioridade deve ser a votação da prorrogação da Zona Franca de Manaus. Essa é a nossa maior preocupação, manter esse modelo de desenvolvimento que gera mais de 135 mil empregos diretos no chão de fábrica. Esperamos que o Congresso vote o quanto antes".

Antonio Carlos da Silva, presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM).


Por Mariana Flores
Fotos: José Paulo Lacerda e Miguel Ângelo
Do Portal da Indústria