NOTÍCIAS

28 de Novembro de 2017 às 18:13

A- A A+

Trabalho é bom para saúde e a saúde é um requisito para bons negócios, diz especialista finlandês

Kari-Pekka Martimo fez palestra durante evento que marcou o lançamento da Plataforma de Soluções SESI, que permitirá redução de custos da empresa e melhora da saúde do trabalhador

 

Kari-Pekka-Martimo-380-281117.jpg

Empresas e trabalhadores são enormemente beneficiados com políticas de promoção à saúde e de segurança no trabalho. A afirmação é do especialista em Medicina do Trabalho e ex-diretor do Instituto Finlandês de Saúde Ocupacional, Kari-Pekka Martimo, que participou nesta terça-feira (28) do evento Inovação em Saúde e Segurança na Indústria, promovido pelo Serviço Social da Indústria (SESI), em São Paulo. “Trabalho é bom para saúde e a saúde é um requisito para bons negócios”, enfatizou o especialista ao encerrar a palestra.

O evento marcou o lançamento da Plataforma Nacional de Soluções SESI, ambiente virtual que reúne serviços, produtos e processos inovadores desenvolvidos pelos oito Centros de Inovação do SESI. A ferramenta, inédita no mercado de saúde e segurança do trabalho na indústria, está disponível na internet.

O gerente-executivo de Saúde e Segurança na Indústria do SESI, Emmanuel Lacerda, detalhou que o portal reúne uma série de produtos voltados para a melhoria da saúde e segurança do trabalhador no ambiente industrial. “A plataforma deve cumprir o papel de ser uma captadora de demandas. É um ambiente aberto, de inovação, de diálogo com a indústria e também com parceiros, voltada para as soluções que mais aderem às necessidades para as empresas”, destacou.

“A nossa ideia é que os trabalhadores da indústria possam ter a melhor cobertura e assistência, além das melhores condições para manter sua integridade de saúde e de segurança. A ideia é reduzir problemas de saúde e os riscos relacionados à saúde e segurança no trabalho”, acrescentou Lacerda.

O SESI criou, em 2017, oito centros de inovação nas principais áreas temáticas de saúde e segurança, com o objetivo de desenvolver projetos de pesquisa aplicada a partir da demanda da indústria. Essas unidades desenvolveram as soluções hoje reunidas na Plataforma, entre as quais o sensor acoplado ao capacete de trabalhadores da indústria da construção civil que apita em ambientes considerados inadequados e inseguros para o trabalhador, onde também são instalados chips que emitem alertas sonoros. A solução foi desenvolvida pelo Centro de Inovação SESI de Tecnologias para a Saúde, em Santa Catarina.

Outra solução disponível na Plataforma é a de prevenção da incapacidade. Desenvolvido pelo SESI na Bahia, a ferramenta traz um método de capacitação de médicos, gestores de recursos humanos e supervisores para que estes saibam identificar e orientar trabalhadores que apresentem não só problemas de doença, mas também fatores como problemas familiares que possam atingir a capacidade de trabalho.
 

 

Centros-de-Inovação-SESI-1200-281117.jpg

BENEFÍCIOS – O especialista finlandês Kari-Pekka Martimo, referência mundial em Medicina do Trabalho, alertou que as iniciativas de promoção à saúde e segurança no trabalho reduzem efetivamente as doenças relacionadas ao trabalho e permitem a manutenção da renda e da qualidade de vida do trabalhador. “Os benefícios dos empregadores são com a redução de afastamento, melhora da produção e da imagem corporativa”, disse.

Também palestrante do evento, o médico oncologista Drauzio Varella alertou que a falta de exercícios físicos é, atualmente, um dos grandes vilões para a saúde do trabalhador. “Hoje dá para ganhar a vida sentado. Esta equação não fecha. As pessoas têm que usar o corpo de forma mais racional de forma a evitar doenças degenerativas crônicas”, frisou.

PLANOS DE SAÚDE - Drauzio Varella criticou o atual modelo dos planos de saúde no país. “O médico briga com o plano de saúde e com o paciente. E o plano com os dois. Não pode dar certo um sistema que é tudo contra tudo e contra todos”, discursou Varella, antes de observar que hoje, no Brasil, cerca de 30% dos exames de imagem não são buscados nos laboratórios, o que significa enorme gasto ocasionado, segundo ele, pelo fato de os médicos em geral pedirem exames em excesso.

Na manhã desta terça-feira, o SESI realizou reunião do Grupo de Trabalho em Saúde Suplementar constituído pela CNI para debater os impactos dos planos empresariais coletivos para as empresas. O grupo vai formular propostas voltadas para a redução dos custos da indústria com planos de saúde e para maior eficiência do setor. O objetivo, além de contribuir para a gestão dos custos com saúde, é garantir a manutenção e qualidade dos benefícios aos trabalhadores na indústria.

SAIBA MAIS - Acesse o site da Plataforma Nacional de Soluções SESI.

Por Diego Abreu, de São Paulo
Fotos: Miguel Ângelo
Para a Agência CNI de Notícias

Leia mais

Inovação no Brasil vai na contramão do mundo

Santa Catarina inaugura novos Institutos SENAI de Inovação com tecnologias de ponta

Cinco Institutos SENAI de Inovação recebem credenciamento de unidade Embrapii

Centros de Inovação do SESI desenvolvem tecnologias para saúde e segurança na indústria

SISTEMA INDÚSTRIA NAS REDES SOCIAIS

CNI: SlideShare | YouTube | Flickr | Google Plus | Instagram | Facebook | Twitter | SoundCloud | LinkedIn
SESI: Facebook | YouTube | LinkedIn
SENAI: Facebook | Instagram | YouTube | Spotify | Twitter
IEL: Facebook | Instagram | Twitter | YouTube | Snapchat | LinkedIn

Comentários