NOTÍCIAS

6 de Outubro de 2017 às 13:55

A- A A+

Fórum IEL mostra como era digital já está revolucionando a vida das pessoas

Pela segunda vez em Vitória, evento discutiu impacto da revolução digital nas carreiras e nos negócios 

Fórum-1140-matéria-0641017.jpg
Um único aparelho simboliza como a tecnologia já transformou a vida em sociedade e como colocamos em prática ideias que antes só cabiam à ficção científica. O celular, na verdade, para o especialista em big data Ricardo Cappra, já faz de nós ciborgues. “Esse aparelho, que não sai de perto de nós, já tem parte do nosso cérebro. A tendência é que a tecnologia seja colocada para dentro do corpo”, aposta ele, que foi um dos palestrantes do Fórum IEL de Carreiras realizado em Vitória, no Espírito Santo, nesta quinta-feira (5).

Mais de 1 mil estudantes de ensino médio e universitários tiraram dúvidas e conheceram um pouco mais sobre o potencial e as mudanças que as carreiras e profissões vêm sofrendo em função dos avanços da inteligência artificial, big data, robótica, entre outras tecnologias, na maneira como vemos o trabalho, consumo e relacionamentos, por exemplo. “A Amazon comprou a rede de mercados Wholefoods. Com cruzamento de dados, a empresa consegue te avisar, no momento que você deixa o mercado, se você esqueceu de comprar algo que precisava. Essa inteligência vem de dados”, exemplificou Cappra.

“Gosto de dizer que o mundo é Beta, ou seja, tudo que sai hoje será transformado amanhã. Além disso, tudo terá e já têm a ver com dados. E estamos começando a descobrir o que fazer com eles. Nem as grandes empresas e CEOs sabem bem ao certo. Por isso, é tão importante que as pessoas reflitam sobre isso. Há oportunidades e riscos”, afirmou Carla Mayumi, pesquisadora e ativista digital.

ECONOMIA FREELANCER - Mariana Castro, jornalista e autora do livro Empreendorismo Criativo - o propósito como ferramenta de inovação trouxe uma outra dimensão da inovação. O trabalho, como o conhecemos, também vai mudar. Aliás, como ela demonstra no livro, já mudou. “Acredito que além de termos mais de uma profissão ao longo da nossa vida, o futuro do trabalho envolve muito mais relacionamento entre pessoas e empresas por meio de projetos do que por contratos fixos”, explicou. Esse fenômeno tem sido chamado de gig economy ou economia freelancer. 

Para ela, a flexibilidade desse novo ambiente, aliado ao propósito permite o desenvolvimento de novas ideias, produtos e serviços. Outra provocação feita por ela diz respeito à postura empreendedora. Segundo Castro, é importante trazer para dentro dos ambientes “tradicionais” de trabalho o engajamento, a audácia e a criatividade de startups. “Vi, apurando as histórias para o livro, a importância do propósito para um negócio.  Lucro mas não é mais a única motivação para ter um negócio. Por isso mais pessoas estão inventando novas empresas”, avaliou. 

Fabiana Pires, 17 anos, acompanhou todas as palestras do dia. A capixaba cursa processos administrativos no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) e saiu com uma visão mais integrada sobre os temas. “A gente recebe a informação muito espalhada. Gostei das apresentações porque consegui ver onde aplicamos essas tecnologias e como isso vai mexer com a minha formação”, afirmou a estudante. 

Por Ariadne Sakkis, de Vitória
Fotos: Miguel Ângelo 
Para a Agência CNI de Notícias 

Leia mais

IEL promove cultura de inovação no Brasil

IEL realiza fórum sobre carreiras inovadoras em Goiânia

Fórum IEL Profissionais Inovadores debate carreiras empreendedoras em São Paulo

Fórum IEL de Carreiras, em Caruaru (PE), recebe mais de mil jovens

SISTEMA INDÚSTRIA NAS REDES SOCIAIS

CNI: SlideShare | YouTube | Flickr | Google Plus | Instagram | Facebook | Twitter | SoundCloud | LinkedIn
SESI: Facebook | YouTube | LinkedIn
SENAI: Facebook | Instagram | YouTube | Spotify | Twitter
IEL: Facebook | Instagram | Twitter | YouTube | Snapchat | LinkedIn

Comentários