NOTÍCIAS

13 de Setembro de 2017 às 10:20

A- A A+

Gestão empresarial garante eficiência ao Sistema Indústria

Debate realizado na sede do jornal Valor Econômico, em São Paulo, demonstrou que recursos do SESI e do SENAI são bem aplicados pela CNI e pelas federações estaduais

Os navios-escola do SENAI oferecem cursos na Amazônia sem retirar os jovens do convívio com suas famílias

Barco-Escola-SENAI-Samaúma-760-130917.jpg
Além do Serviço Social da Indústria (SESI) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), o chamado Sistema Indústria é composto pelo Instituto Euvaldo Lodi (IEL), que prepara as indústrias para um ambiente de alta competitividade, oferecendo soluções em gestão, educação empresarial e desenvolvimento de carreiras.

O Sistema tem atualmente 71 mil funcionários, viabiliza formação educacional e profissional a 4,3 milhões de alunos em 1.200 escolas e 200 laboratórios e beneficia com serviços de saúde e segurança no trabalho mais de 3 milhões de pessoas em 2.700 municípios de todas as regiões do país. Essa estrutura foi destacada pelos participantes da mesa-redonda que discutiu a importância do SESI e do SENAI para o fortalecimento da indústria brasileira na semana passada, na sede do jornal Valor Econômico, em São Paulo.

Para realizar todo o trabalho de governança superior e de gestão estratégica deste amplo universo, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e as 27 federações estaduais recebem uma taxa de aproximadamente 6% das contribuições aportadas pelas empresas no SESI e no SENAI. Durante o debate, o presidente da CNI, Robson Braga de Andrade, rebateu críticas de que os valores recebidos pela entidade seriam altos. “Apenas para fazer a gestão de parte da arrecadação do Sistema, a Receita Federal cobra uma taxa de 3,5%, um trabalho que não chega nem perto do que é feito pela CNI e pelas federações”, comparou.

Entre as diversas atribuições da CNI, Robson Andrade destacou o trabalho de comunicação e a defesa de interesses da indústria nos diversos fóruns, as pesquisas que balizam tomadas de decisão, entre outras. Ele destacou ainda o investimento de R$ 2,5 bilhões do SENAI na implantação de 57 institutos de tecnologia e de 25 institutos de inovação, a maior rede do gênero no país. “A gestão da CNI garante que as ações do SESI e do SENAI estejam alinhadas às necessidades da indústria nacional”, ressaltou. 

Há ainda todo um trabalho de planejamento estratégico, que permite, por exemplo, a alocação de recursos do Sistema em regiões mais distantes e desfavorecidas. É o caso dos navios-escola do SENAI, que oferecem cursos na Amazônia sem retirar os jovens do convívio com suas famílias. E também a realização de cursos de formação profissional no interior do país. “Se não fosse o SENAI, não seria possível, por exemplo, a instalação da fábrica da Ford em Camaçari, na Bahia, por falta de mão de obra qualificada”, enfatizou o senador Roberto Muniz (PP-BA), que acompanhou o processo de instalação da empresa naquela região.

ADMINISTRAÇÃO TRANSPARENTE - Além de aplicarem de forma eficaz as contribuições aportadas pelas empresas, SESI e SENAI são administrados de forma transparente. Orçamentos, demonstrações contábeis e outros dados sobre a gestão financeira das duas instituições estão disponíveis em seus respectivos sites na internet. “Elas cumprem rigorosamente as exigências legais, prestam contas à sociedade e são fiscalizadas por várias instituições, entre as quais o Tribunal de Contas da União (TCU), a Controladoria-Geral da União (CGU), os ministérios da Educação, do Trabalho e do Desenvolvimento Social, além de auditorias independentes”, enfatiza o diretor jurídico da CNI, Hélio Rocha.

Graças à aplicação eficiente e transparente dos recursos, a atuação do SESI e do SENAI é aprovada pelos empresários que contribuem para a manutenção do sistema. Pesquisa com amostragem de 3.921 indústrias revelou que cerca de 90% dos empresários aprovam a atuação das duas entidades e as consideram “essenciais para o desenvolvimento da indústria brasileira”.
 

Cláudio-Moura-e-Castro-130917.jpg
"Visitei mais de 100 escolas de formação profissional pelo mundo afora, mas nenhuma, com exceção de Cingapura, atingia o patamar mínimo da pior escola do SENAI. Então, nesse ponto de vista o Brasil está bem” 
Cláudio de Moura Castro
Especialista em Educação

 



Roberto-Muniz-130917.jpg
“Se não fosse o SENAI, não seria possível, por exemplo, a instalação da fábrica da Ford em Camaçari, na Bahia, por falta
de mão de obra qualificada”
Roberto Muniz
Senador pelo PP-BA

 



Carlos-Velloso-130917.jpg
"No momento em que o dinheiro ingressa nos cofres das entidades (do Sistema Indústria), ele se transforma em recurso privado, com gestāo privada”
Carlos Velloso
Jurista e ex-presidente do STF

 

 

 

Hélio-Rocha-130917.jpg
“O SESI e o SENAI cumprem rigorosamente as exigências legais, prestam contas à sociedade e são fiscalizadas por várias instituições, como TCU e CGU”
Hélio Rocha
Diretor jurídico da CNI

 



Gustavo-Leal-130917.jpg
"Em vez de se traduzir em custo, a contribuição é um investimento, pois se reverte, diretamente, em prestação de serviços essenciais ao aumento da competitividade das empresas”
Gustavo Leal
Diretor de operações do SENAI






LEIA AMANHÃ - Na reportagem de amanhã, você verá como a educação de qualidade forma o trabalhador do futuro.

NOTÍCIAS RELACIONADAS
12/09/17 Debate destaca papel de SESI e SENAI no desenvolvimento do país

Da Agência CNI de Notícias

Leia mais

Programa do SENAI em parceria com o governo leva Indústria 4.0 a pequenas e médias empresas

SENAI Ceará e grupo francês PSA oficializam parceria inédita

CNI realiza seminário internacional para discutir regulamentação do lobby

VÍDEO: Gestão do Sistema Indústria contribui para o desenvolvimento do Brasil. Veja no Minuto da Indústria

SISTEMA INDÚSTRIA NAS REDES SOCIAIS

CNI: SlideShare | YouTube | Flickr | Google Plus | Instagram | Facebook | Twitter | SoundCloud | LinkedIn
SESI: Facebook | YouTube | LinkedIn
SENAI: Facebook | Instagram | YouTube | Spotify | Twitter
IEL: Facebook | Instagram | Twitter | YouTube | Snapchat | LinkedIn

Comentários