NOTÍCIAS

9 de Agosto de 2017 às 16:52

A- A A+

Destravar comércio exterior contribuirá para retomada do crescimento, diz CNI

Vice-presidente da CNI, Paulo Tigre falou na abertura do Encontro Nacional de Comércio Exterior, que debaterá medidas para reduzir custos para exportação, reindustrialização e crescimento

O evento começou nesta quarta-feira (9), no Rio de Janeiro

Auditório-do-Enaex-640-x-360.jpg
Reduzir custos no comércio exterior beneficiará a retomada do crescimento do país. Em cerimônia de abertura do Encontro Nacional de Comércio Exterior (Enaex), organizado pela Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB) no Rio de Janeiro, o vice-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI) Paulo Tigre defendeu maior empenho em diminuir as barreiras ao desempenho da indústria nacional em mercados internacionais. "Reduzir custos no comércio exterior é caminhar no sentido da agenda da competitividade do país e de suas empresas", afirmou.

Tigre lembrou que o diálogo entre a iniciativa privada tem sido mais intenso para debater a agenda de facilitação de comércio. Mesmo assim, reiterou que é preciso maior coordenação entre os órgãos envolvidos no comércio exterior para minimizar entraves que resultam na discreta participação brasileira lá fora. "Menos tributos, operações aduaneiras e de escoamento mais eficazes e ampla rede de acordos com países estratégicos para o Brasil são alguns dos objetivos que devem ser perseguidos pelo nosso Estado", afirmou.

Ele também lembrou da importância de preparar as empresas, por meio de iniciativas e programas focados, para que identifiquem oportunidades e recebam suporte às operações comerciais e de investimentos. Participaram do evento o presidente da República, Michel Temer; o ministro de Indústria, Comércio Exterior, e Serviços (MDIC), Marcos Peireira; o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello, entre outras autoridades.

PILAR ECONÔMICO - Mesmo com a menor participação no PIB da história, a indústria deve ser vista como o motor do crescimento e tem papel fundamental para tirar o Brasil da recessão. "Se queremos um país mais desenvolvido, se queremos superar o difícil momento pelo qual passamos, se queremos mais espaço no mercado global - todas estas possibilidades reais para a economia brasileira - não há dúvidas de que precisamos de uma indústria forte, inovadora, dinâmica, competitiva", finalizou.


Por Ariadne Sakkis 
Foto: Isabella Sousa
Da Agência CNI de Notícias 

Leia mais

Brasil e Irã negociam acordos para atingir meta de US$ 5 bilhões no comércio bilateral

Mais imposto é sinônimo de menos emprego, diz presidente da CNI

Indústria defende maior participação do Brasil em acordos internacionais de serviços

Empresários apresentam ao governo propostas para aumentar participação do Brasil em acordos internacionais de serviços

SISTEMA INDÚSTRIA NAS REDES SOCIAIS

CNI: SlideShare | YouTube | Flickr | Google Plus | Instagram | Facebook | Twitter | SoundCloud | LinkedIn
SESI: Facebook | YouTube | LinkedIn
SENAI: Facebook | Instagram | YouTube | Spotify | Twitter
IEL: Facebook | Instagram | Twitter | YouTube | Snapchat | LinkedIn

Comentários