NOTÍCIAS

17 de Julho de 2017 às 11:00

A- A A+

CNI vai ao Supremo contra a incidência do ISS sobre insumos da indústria têxtil

Confederação argumenta na ação que atividades de costura, quando inseridas no ciclo econômico da produção de outros bens antes de alcançar o consumidor final, não devem ser tributadas com o ISS

Tal situação provoca sérios danos à indústria têxtil e de confecção, que se vê diante de dupla exigência tributária sobre o mesmo fato

indústria têxtil 380 170717
A Confederação Nacional da Indústria (CNI) ingressou com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a Lei Complementar 157/2016, que passou a tributar as atividades de costura e acabamento com o Imposto sobre Serviços (ISS). Na ação, a CNI defende que essas atividades, quando inseridas no ciclo econômico da produção de outros bens antes de alcançar o consumidor final, não sejam tributadas pelo ISS, uma vez que não se referem a produtos finais, mas a insumos da indústria. O relator da ADI 5.742 é o ministro Alexandre de Moraes.

Na ação, a CNI destaca que os municípios têm reclamado o pagamento de ISS com base no entendimento de que toda e qualquer atividade de costura e acabamento se enquadraria no conceito de prestação de serviço, independentemente do objeto, do resultado e do destinatário da contratação. A Confederação acrescenta que os estados exigem o pagamento do ICMS sempre que as atividades produzirem bens que serão utilizados para posterior processo de comercialização e de industrialização.

“Tal situação provoca sérios danos à indústria têxtil e de confecção, que se vê diante de dupla exigência tributária sobre o mesmo fato, sem falar na imposição de penalidades e na cobrança de juros”, afirma a CNI na ação.



Por Diego Abreu
Da Agência CNI de Notícias

Leia mais

CNI entra com ação no STF contra lei que prevê ocorrência policial para acidentes de trabalho

CNI lança Agenda Jurídica da Indústria 2017 com 84 ações no STF de interesse do setor industrial

Quer melhorar o desempenho do seu negócio? Participe do Procompi!

CNI vai ao Supremo contra lei do RJ que condiciona incentivos fiscais ao depósito de 10% do seu valor em fundo

SISTEMA INDÚSTRIA NAS REDES SOCIAIS

CNI: SlideShare | YouTube | Flickr | Google Plus | Instagram | Facebook | Twitter | SoundCloud | LinkedIn
SESI: Facebook | YouTube | LinkedIn
SENAI: Facebook | Instagram | YouTube | Spotify | Twitter
IEL: Facebook | Instagram | Twitter | YouTube | Snapchat | LinkedIn

Comentários