NOTÍCIAS

20 de Abril de 2017 às 10:51

A- A A+

Queda dos juros e valorização do real estabilizam custos da indústria

Estudo trimestral da CNI  mostra que custos industriais tiveram alta de apenas 0,1% no quarto trimestre do ano passado. O índice de custo com capital de giro, um dos componentes do indicador, caiu 5,4%

INDICADORES INDUSTRIAIS 20.04.png Os custos industriais subiram 0,1% no quarto trimestre de 2016 em relação ao período imediatamente anterior, na série livre de influências sazonais. Foi o segundo trimestre consecutivo de estabilidade no indicador. Mesmo assim, os custos da indústria brasileira subiram, em média, 5,2% no ano passado em relação a 2015. As informações são do Indicador de Custos Industriais, divulgado nesta quinta-feira, 20 de abril, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). 

O Indicador de Custos Industriais é formado pelos índices de custo tributário, de capital de giro e de custos com a produção. De acordo com a CNI, índice de custo tributário caiu 1,0% no quarto trimestre de 2016 na comparação frente ao período imediatamente anterior, na série com ajuste sazonal. Na mesma base de comparação, o índice de custos com capital de giro recuou 5,4%. Foi o terceiro trimestre consecutivo de queda do índice. 

O índice de custo com produção subiu 0,5%, puxado pelas despesas com pessoal, que aumentaram 1,1%. Os custos de produção também incluem os custos com energia, que tiveram alta de 0,4%, e com a compra de bens intermediários, com aumento de 0,3% no quarto trimestre na comparação com o terceiro trimestre de 2016, na série de dados dessazonalizados. 

A economista da CNI Maria Carolina Marques destaca que a estabilidade dos custos industriais é resultado da queda de alguns custos que subiram muito em 2015 e no início de 2016. "A valorização do real reduziu os custos com insumos importados e a queda dos juros diminuiu os custos com capital de giro. Além disso, na média anual, houve uma pequena queda nos custos com energia", afirma a economista. "Mas as quedas foram pequenas diante dos aumentos expressivos que esses custos tiveram no período anterior, entre 2014 e 2015", lembra.  

MARGEM DE LUCRO - Enquanto os custos ficaram praticamente estáveis, os preços dos produtos industrializados subiram 0,5% no quarto trimestre frente ao período imediatamente anterior, com ajuste sazonal. "Esse é o quinto trimestre seguido em que os preços de manufaturados subiram mais que os custos industriais, o que não ocorria desde 2009/2010", observa a CNI. Os preços dos produtos industrializados tiveram uma alta média de 8,2% no ano passado. A diferença em relação aos custos permitiu a recomposição da margem de lucro das empresas.  

"As margens de lucro das empresas foram compridas entre o final de 2014 e o final de 2015. O crescimento dos custos abaixo do aumente de preços no período recente contribuem para a indústria se recuperar dessa perda”, afirma Maria Carolina. 

Além disso, com a estabilidade dos custos, os produtos brasileiros ganharam competitividade no trimestre, porque os preços em reais dos manufaturados importados subiram 0,6% no quarto trimestre de 2016. No mercado dos Estados Unidos, os preços em reais dos produtos industrializados aumentaram 1,8%. Nos dois casos, a alta, impulsionada pela valorização do real diante do dólar, foi superior aos custos industriais brasileiros, o que aumentou as chances de competição dos produtos nacionais. 

Mas esse ganho de competitividade foi insuficiente para compensar as perdas registradas ao longo de 2016. Na comparação com o último trimestre de 2015, os custos industriais brasileiros caíram 0,2%, mas a queda dos preços em reais dos manufaturados importados no mesmo período foi de 19,4%. No mercado dos Estados Unidos, a queda foi de 13,7%.



ESTUDO COMPLETO - Confira a última edição do Indicador de Custos Industriais.


Da Agência CNI de Notícias

Leia mais

VÍDEO: Minuto da Indústria destaca última edição do Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (INEC)

Indústrias atendidas pelo Brasil Mais Produtivo terão acesso a novas técnicas para aumentar produtividade

“Reforma da Previdência vai diminuir desigualdades entre aposentadorias”, diz deputado Carlos Marun

Brasileiros estão mais confiantes, mostra pesquisa da CNI

SISTEMA INDÚSTRIA NAS REDES SOCIAIS

CNI: SlideShare | YouTube | Flickr | Google Plus | Instagram | Facebook | Twitter | SoundCloud | LinkedIn
SESI: Facebook | YouTube | LinkedIn
SENAI: Facebook | Instagram | YouTube | Spotify | Twitter
IEL: Facebook | Instagram | Twitter | YouTube | Snapchat | LinkedIn

Comentários