NOTÍCIAS

3 de Fevereiro de 2017 às 14:16

A- A A+

VÍDEO: Brasileiros acreditam que o desemprego foi o principal problema do país em 2016. Confira no Minuto da Indústria

A percepção sobre o principal problema de 2016 está na pesquisa Retratos da Sociedade Brasileira - Problemas e Prioridades da CNI feita com 2.002 pessoas, em 141 municípios

Com a piora da crise econômica em 2016, o desemprego foi apontado pelos brasileiros como o principal problema do país no ano passado . Em segundo lugar ficaram a saúde e a corrupção.

O Minuto da Indústria destaca também que a influência dos consumidores nas redes sociais levou as empresas a mudarem suas rotinas.  O tema é comentado pela escritora e consultora na área de marketing digital, inovação e educação, Martha Gabriel, em entrevista à Agência CNI de Notícias .

Outro destaque da semana é a pesquisa que mostra a opinião do brasileiro sobre a flexibilização das regras do trabalho . Mais de 80% gostariam de poder trabalhar em casa e 73% querem definir a própria jornada de trabalho.

SAIBA MAIS - O Minuto da Indústria é uma produção da Agência CNI de Notícias veiculado todas as sexta-feiras. O vídeo traz os principais assuntos que foram destaque na semana sobre a indústria brasileira e internacional. Acompanhe no Portal da Indústria e também nas redes sociais da CNI!

Roteiro e apresentação: João Pimentel
Imagens e edição: Gilberto Alves
Da Agência CNI de Notícias

Leia mais

Reaproximação de Brasil e Argentina abre espaço para agenda da indústria, avalia CNI

Confira as mais lidas da Agência CNI de Notícias entre 30 de janeiro e 5 de fevereiro

VÍDEO: IEL já capacitou mais de 245 mil gestores e executivos no Brasil

Número de indústrias que investe é o menor desde 2010, informa CNI

SISTEMA INDÚSTRIA NAS REDES SOCIAIS

CNI: SlideShare | YouTube | Flickr | Google Plus | Instagram | Facebook | Twitter | SoundCloud | LinkedIn
SESI: Facebook | YouTube | LinkedIn
SENAI: Facebook | Instagram | YouTube | Spotify | Twitter
IEL: Facebook | Instagram | Twitter | YouTube | Snapchat | LinkedIn

Comentários