NOTÍCIAS

5 de Fevereiro de 2016 às 10:37

A- A A+

Brasileiros começam o ano menos pessimistas, mostra pesquisa da CNI

O Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (INEC) aumentou 2,4% em janeiro na comparação com dezembro de 2015. Mesmo assim, o índice, que alcançou 98,6 pontos, está 10% abaixo da média histórica e mostra que os brasileiros continuam pessimistas. A informação é da pesquisa divulgada nesta sexta-feira (5) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) .

"Desde abril de 2015, o índice encontra-se relativamente estável, mantendo-se entre 96 e 100 pontos. A manutenção do pessimismo do consumidor indica perspectivas de continuidade de baixa demanda nos próximos meses", diz a pesquisa.

De acordo com o levantamento, a melhora da confiança em janeiro é resultado das perspectivas em relação à renda pessoal, ao endividamento e à situação financeira. O índice de expectativa sobre a renda pessoal cresceu 4,6%, o de endividamento subiu 4,6% e o de situação financeira avançou 2,4% frente a dezembro. Quanto maior o indicador, maior é o número de pessoas que esperam o aumento a renda e que perceberam melhora da situação financeira e a queda do endividamento. O economista da CNI Marcelo Azevedo explica porque a confiança dos brasileiros melhorou em janeiro. Ouça.​

As perspectivas sobre a inflação e o emprego também melhoraram. O índice de expectativas em relação inflação cresceu 2,5% e o de desemprego aumentou 5,2% frente a dezembro. Quanto maior os índices, maior é o número de pessoas que apostam na queda da inflação e do desemprego nos seis próximos meses. Só o índice de expectativa de compras de maior valor caiu em janeiro. A queda foi de 1,1% em relação a dezembro. Esse resultado é normal nesta época, porque encerra-se o período de compras de maior valor tradicionais no fim de ano.

Feita em parceria com o Ibope, esta edição do INEC ouviu 2.002 pessoas em 142 municípios entre 16 e 20 de janeiro.



SAIBA MAIS - Acesse a página do Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (INEC) para conhecer todos os detalhes da pesquisa.

Por Verene Wolke
Da Agência CNI de Notícias

SISTEMA INDÚSTRIA NAS REDES SOCIAIS

CNI: SlideShare | YouTube | Flickr | Google Plus | Instagram | Facebook | Twitter | SoundCloud | LinkedIn
SESI: Facebook | YouTube | LinkedIn
SENAI: Facebook | Instagram | YouTube | Spotify | Twitter
IEL: Facebook | Instagram | Twitter | YouTube | Snapchat | LinkedIn

Comentários